Segurança do paciente antes e depois da implementação do cuidado hospitalar centrado na pessoa — um estudo quase experimental

Jakobsson S ; Ringström G ; Andersson E ; Eliasson B ; Johannsson G ; Simrén M ; Jakobsson Ung E
Título original:
Patient safety before and after implementing person-centred inpatient care - A quasi-experimental study
Resumo:

AIMS AND OBJECTIVES: To evaluate aspects of patient safety before and after a person-centred (PC) inpatient care intervention. BACKGROUND: Transitioning from disease-centred to person-centred care requires great effort but can improve patient safety. DESIGN: A quasi-experimental study with data collection preceding and 12 months after a PC inpatient care intervention. METHODS: The study consecutively recruited adult patients (2014, n = 263; 2015/2016, n = 221) admitted to an inpatient care unit. The patients reported experiences of care at discharge and their perceived pain at admission and discharge. Medical records were reviewed to gather data on medications, planned care and clinical observations. The study is reported according to TREND guidelines. RESULTS: At discharge, patients receiving PC inpatient care reported competent medical-technical care. Patients receiving PC inpatient care reported more effective pain relief. Updated prescribed medications at the ward were maintained, and patients were made aware of planned medical care to higher extent during PC inpatient care. The assessment of pulse and body temperature was maintained, but fewer elective care patients had their blood pressure taken during PC inpatient care. Weight assessment was not prioritised during usual or PC inpatient care. CONCLUSIONS: Patients receiving PC inpatient care reported that they were given the best possible care and had less pain at discharge. The PC inpatient care included improved documentation and communication of planned medical care to the patients. Vital signs were more frequently recorded for patients admitted for acute care than patients admitted for elective care. PC inpatient care had no effect on frequency of weight measurements. RELEVANCE TO CLINICAL PRACTICE: PC inpatient care seems beneficial for the patients. Aspects of patient safety such as prescribed medications were maintained, and PC inpatient care seems to enhance the continuity of care. Inpatient clinical observations need further evaluation as healthcare transitions from disease-centred to person-centred care.
 

Resumo Original:

OBJETIVOS: Avaliar aspectos da segurança do paciente antes e depois de uma intervenção de cuidado hospitalar centrado na pessoa (CP). CONTEXTO: A transição de um cuidado centrado na doença para um cuidado centrado na pessoa requer um grande esforço, mas pode melhorar a segurança do paciente. DESENHO: Realizamos um estudo quase-experimental com coleta de dados antes e 12 meses depois de uma intervenção de cuidado hospitalar CP. MÉTODOS: O estudo recrutou consecutivamente pacientes adultos (2014, n=263; 2015/2016, n=221) internados em uma unidade hospitalar. Os pacientes relataram experiências com o cuidado no momento da alta hospitalar e a sua percepção de dor nos momentos da internação e da alta. Fizemos uma revisão dos prontuários para coletar dados sobre medicamentos, o plano de cuidados e observações clínicas. O estudo seguiu as diretrizes TREND. RESULTADOS: No momento da alta, os pacientes que receberam o cuidado hospitalar CP relataram um cuidado competente em termos médicos e técnicos. Os pacientes que receberam o cuidado CP relataram um alívio mais eficaz da dor. No grupo de cuidado CP, a prescrição atualizada de medicamentos na enfermaria foi mantida, e os pacientes foram mais bem informados sobre o plano de cuidados. A avaliação do pulso e da temperatura corporal foi mantida, mas uma menor quantidade de pacientes em cuidado eletivo teve a pressão arterial medida no grupo que recebeu o cuidado CP. A avaliação do peso não foi priorizada durante o cuidado habitual nem durante o cuidado CP. CONCLUSÕES: Os pacientes que receberam o cuidado CP relataram que receberam o melhor cuidado possível e apresentaram menos dor no momento da alta hospitalar. O cuidado hospitalar CP esteve associado a uma melhor documentação e comunicação do plano de cuidados aos pacientes. Os sinais vitais foram registrados com maior frequência nos pacientes internados para receber cuidado agudo que em pacientes internados para cuidado eletivo. O cuidado CP não teve efeito sobre a frequência da medição do peso. RELEVÂNCIA PARA A PRÁTICA CLÍNICA: O cuidado hospitalar CP parece ser benéfico para os pacientes. Foram mantidos aspectos da segurança do paciente, tais como a prescrição de medicamentos, e o cuidado hospitalar CP parece melhorar a continuidade do cuidado. É preciso estudar melhor a observação clínica de pacientes com a passagem do cuidado de saúde centrado na doença para o cuidado centrado na pessoa.
 

Fonte:
; 29(3-4): 602-612; 2019. DOI: 10.1111/jocn.15120.