Quedas em hospitais: um estudo de caso-controle

de Groot GCL1 ; Al-Fattal A1 ; Sandven I2
Título original:
Falls in hospital: a case-control study.
Resumo:

OBJETIVOS:
As quedas em pacientes internados são eventos comuns. O método utilizado pela Campanha Norueguesa de Segurança do Paciente para medir os eventos adversos é a Ferramenta de Rastreamento Global (Global Trigger Tool), que não examina as causas das quedas. Este estudo procurou investigar os principais fatores de risco para as quedas no ambiente hospitalar.
MÉTODOS:
Este estudo de caso-controle retrospectivo foi realizado no Telemark Hospital na Noruega, no período de setembro de 2012 a agosto de 2014. Foram incluídos 842 pacientes de três enfermarias, onde 172 pacientes haviam sofrido uma ou mais quedas durante a internação, e 670 controles aleatórios não sofreram quedas. Os dados foram analisados de acordo com uma estratégia pragmática.
RESULTADOS:
Em comparação com os pacientes que não sofreram quedas, os pacientes que as sofreram tiveram uma probabilidade 21 vezes maior de apresentarem equilíbrio ruim (OR=21,50, IC 95%: 10,26-45,04) e 19 vezes maior de apresentarem muito equilíbrio ruim (OR=19,62, IC 95%: 9,55-40,27), probabilidade duas vezes maior de serem homens (OR=1,82, IC 95%: 1,24-2,68) e probabilidade 50% maior de sofrerem quedas a cada 10 anos de aumento da idade (OR=1,51, IC 95%: 1,34-1,69). Além disso, os pacientes que sofreram quedas apresentaram maior probabilidade de usar medicamentos antidepressivos (OR=3,85, IC 95%: 1,09-13,63), antipsicóticos (OR=3,27, IC 95%: 1,94-5,51), ansiolíticos/hipnóticos (OR=1,80, IC 95%: 1,22-2,67) e antiepilépticos (OR=1,13, IC 95%: 1,11-4,06) do que os pacientes que não sofreram quedas.
CONCLUSÕES:
Durante a internação hospitalar, os pacientes que sofreram quedas apresentaram um perfil de risco mais elevado do que os pacientes que não as sofreram. Os profissionais clínicos devem trabalhar para melhorar a segurança do paciente e reduzir o risco de quedas, avaliando com precisão o equilíbrio e a mobilidade como uma forma de prevenção primária. Recomendamos que seja feita uma revisão da medicação do paciente após uma queda, como uma estratégia de prevenção secundária contra as quedas.
PALAVRAS-CHAVE:
antidepressivos; equilíbrio; medicamentos; quedas; hospital

Resumo Original:

Abstract
AIMS:
Falls among inpatients are common. The method used by The Norwegian Patient Safety Campaign to measure the adverse events is the Global Trigger Tool, which does not look at the causation for falls. This study was aimed at investigating major risk factors for falls in the hospital setting.
METHODS:
This retrospective case-control study was conducted at Telemark Hospital in Norway, in the period from September 2012 to August 2014. A total of 842 patients from three wards were included, where of 172 cases had experienced one or more fall(s) during hospitalisation and 670 random controls had not fallen. Data were analysed according to a pragmatic strategy.
RESULTS:
Compared with patients who did not fall, patients who fell were 21 times more likely to have poor balance (OR = 21.50, 95% CI: 10.26-45.04) and 19 times more likely to have very poor balance (OR = 19.62, 95% CI: 9.55-40.27), twice as likely to be men (OR = 1.82, 95% CI: 1.24-2.68), and 50% increased probability of fall with every 10 year increase of age (OR = 1.51, 95% CI: 1.34-1.69). Furthermore, the patients who fell were more likely to use antidepressant drugs (OR = 3.85, 95% CI: 1.09-13.63), antipsychotic drugs (OR = 3.27, 95% CI: 1.94-5.51), anxiolytic/hypnotic drugs (OR = 1.80, 95% CI: 1.22-2.67) and antiepileptic drugs (OR = 1.13, 95% CI: 1.11-4.06) than patients who did not fall.
CONCLUSIONS:
During hospital stay, patients who fell had a higher risk profile than patients who did not fall. Clinicians should work to improve patients' safety and reduce the risk of falls by accurately assessing balance and mobility as a form of primary prevention. We recommend that a review of the patient medications should be conducted upon falling, as a form of a secondary preventive strategy against falls.
KEYWORDS:
antidepressants; balance; drugs; falls; hospital

Fonte:
; 11: 2019. DOI: 10.1111/scs.12733.