Prevenção de tromboembolismo venoso adquirido no hospital: melhoria da segurança do paciente com o trabalho em equipe interdisciplinar, análise de melhoria da qualidade e transparência no uso de dados.

Schleyer AM1 ; Robinson E2 ; Dumitru R3 ; Taylor M4 ; Hayes K5 ; Pergamit R2 ; Beingessner DM6
Título original:
Preventing hospital-acquired venous thromboembolism: Improving patient safety with interdisciplinary teamwork, quality improvement analytics, and data transparency.
Resumo:

CONTEXTO:
O tromboembolismo venoso adquirido no hospital (TEV-AH) é uma causa potencialmente evitável de morbidade e mortalidade. De acordo com diretrizes institucionais, o TEV continua a ser a mais comum das condições adquiridas em nossa instituição, apesar das altas taxas de profilaxia do tromboembolismo venoso (TEV).
OBJETIVO:
Melhorar a segurança de todos os pacientes internados, examinar as práticas atuais de prevenção do TEV, identificar oportunidades de melhoria e diminuir as taxas de TEV-AH.
DESENHO:
Avaliação do tipo pré/pós-intervenção.
AMBIENTE/PACIENTES:
Um hospital acadêmico terciário urbano que serve como centro de referência e conta com um centro de trauma de nível 1; todos os pacientes foram incluídos.
INTERVENÇÃO:
Formamos uma força-tarefa multidisciplinar para TEV para revisar todos os eventos de TEV-AH, avaliar as práticas de prevenção com base em diretrizes institucionais baseadas em evidências e identificar oportunidades de melhoria. A força-tarefa desenvolveu uma ferramenta eletrônica para facilitar a revisão eficiente dos eventos de TEV e desenhou ferramentas de notificação e de apoio à decisão, atualmente integradas ao prontuário eletrônico, a fim de levar as melhores práticas de prevenção de TEV ao ponto de cuidado. O desempenho é compartilhado de forma transparente em toda a instituição.
MEDIDAS:
Processo de benchmark Harborview e desempenho dos resultados, incluindo indicadores de segurança do paciente e medidas essenciais, em comparação com hospitais de todo o país que usam os dados dos sistemas Hospital Compare e Vizient.
RESULTADOS:
O nosso programa resultou em >90% de adesão às diretrizes para prevenção de TEV e em zero TEV-AHs evitáveis. As iniciativas resultaram em uma redução de 15% na taxa de TEV-AH e de 21% na taxa de TEV pós-operatório.
CONCLUSÕES:
As chaves para o sucesso incluem a abordagem multidisciplinar, os papéis clínicos dos membros da força-tarefa, o apoio das altas lideranças e o uso de análises de melhoria da qualidade para revisão retrospectiva, relatórios prospectivos e transparência do desempenho. A colaboração persistente da força-tarefa com os profissionais da linha de frente é fundamental para sustentar as melhorias. 

Resumo Original:

BACKGROUND:
Hospital-acquired venous thromboembolism (HA-VTE) is a potentially preventable cause of morbidity and mortality. Despite high rates of venous thromboembolism (VTE) prophylaxis in accordance with an institutional guideline, VTE remains the most common hospital-acquired condition in our institution.
OBJECTIVE:
To improve the safety of all hospitalized patients, examine current VTE prevention practices, identify opportunities for improvement, and decrease rates of HA-VTE.
DESIGN:
Pre/post assessment.
SETTING/PATIENTS:
Urban academic tertiary referral center, level 1 trauma center, safety net hospital; all patients.
INTERVENTION:
We formed a multidisciplinary VTE task force to review all HA-VTE events, assess prevention practices relative to evidence-based institutional guidelines, and identify improvement opportunities. The task force developed an electronic tool to facilitate efficient VTE event review and designed decision-support and reporting tools, now integrated into the electronic health record, to bring optimal VTE prevention practices to the point of care. Performance is shared transparently across the institution.
MEASUREMENTS:
Harborview benchmarks process and outcome performance, including patient safety indicators and core measures, against hospitals nationally using Hospital Compare and Vizient data.
RESULTS:
Our program has resulted in >90% guideline-adherent VTE prevention and zero preventable HA-VTEs. Initiatives have resulted in a 15% decrease in HA-VTE and a 21% reduction in postoperative VTE.
CONCLUSIONS:
Keys to success include the multidisciplinary approach, clinical roles of task force members, senior leadership support, and use of quality improvement analytics for retrospective review, prospective reporting, and performance transparency. Ongoing task force collaboration with frontline providers is critical to sustained improvements.

Fonte:
; 11(2): S38-S43; 2016. DOI: 10.1002/jhm.2664.