Infecções transmitidas por transfusão notificadas ao módulo de hemovigilância da National Healthcare Safety Network

Haass KA ; Sapiano MRP ; Savinkina A ; Kuehnert MJ ; Basavaraju SV
Título original:
Transfusion-Transmitted Infections Reported to the National Healthcare Safety Network Hemovigilance Module.
Resumo:

As infecções transmitidas por transfusão (ITTs) podem ser graves e resultar em morte. A transmissão de patógenos virais por transfusão foi substancialmente reduzida, mas a sepse por contaminação bacteriana de plaquetas e a babesiose transmitida por transfusão podem ocorrer com mais frequência. A quantificação da carga das ITTs é importante para o desenvolvimento de intervenções específicas. De 1 de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2016, as unidades de saúde participantes do Módulo de Hemovigilância da National Healthcare Safety Network monitoraram os receptores de transfusões em busca de evidências de ITTs e registraram o número total de unidades transfundidas. As unidades utilizam critérios padrão para notificar as ITTs . Apresentamos aqui as taxas de incidência de ITTs, incluindo aquelas por contaminação bacteriana de plaquetas e babesiose transmitida por transfusão. Ao todo, 195 estabelecimentos notificaram a ocorrência de 111 ITTs e a transfusão de 7,9 milhões de componentes para o Módulo de Hemovigilância da National Healthcare Safety Network. Desses 111 casos notificados, 54 cumpriram os critérios de inclusão. Os patógenos notificados com mais frequência foram Babesia spp nos concentrados de hemácias (16/23,70%) e Staphylococcus aureus nas transfusões de plaquetas (30/12,40%). Houve 1,95 (26 produtos de aférese, 4 derivados de sangue total) ITTs por 100.000 unidades de plaquetas transfundidas e 0,53 ITTs por 100.000 concentrados de hemácias transfundidos, em comparação com 0,68 ITTs por 100.000 quando considerados todos os componentes transfundidos. A contaminação bacteriana de plaquetas e a babesiose transmitida por transfusão foram as ITTs notificadas com mais frequência. Intervenções para reduzir a carga de contaminação bacteriana das plaquetas (particularmente quando coletadas por aférese) e a transmissão de Babesia pela transfusão de hemácias reduziriam a morbidade e mortalidade dos receptores de transfusão. Estas análises demonstram o valor e a importância da participação das instituições na hemovigilância nacional entre os receptores de transfusão usando critérios de notificação padronizados.
PALAVRAS-CHAVE:
Babesia spp.; contaminação bacteriana; hemovigilância; infecções transmitidas por transfusão
 

Resumo Original:

Abstract
Transfusion-transmitted infections (TTIs) can be severe and result in death. Transfusion-transmitted viral pathogen transmission has been substantially reduced, whereas sepsis due to bacterial contamination of platelets and transfusion-transmitted babesiosis may occur more frequently. Quantifying the burden of TTI is important to develop targeted interventions. From January 1, 2010, to December 31, 2016, health care facilities participating in the National Healthcare Safety Network Hemovigilance Module monitored transfusion recipients for evidence of TTI and recorded the total number of units transfused. Facilities use standard criteria to report TTIs. Incidence rates of TTIs, including for bacterial contamination of platelets and transfusion-transmitted babesiosis, are presented. One hundred ninety-five facilities reported 111 TTIs and 7.9 million transfused components to the National Healthcare Safety Network Hemovigilance Module. Of these 111 reports, 54 met inclusion criteria. The most frequently reported pathogens were Babesia spp in RBCs (16/23, 70%) and Staphylococcus aureus in platelets (12/30, 40%). There were 1.95 (26 apheresis, 4 whole blood derived) TTIs per 100 000 transfused platelet units and 0.53 TTI per 100 000 transfused RBC components, compared to 0.68 TTI per 100 000 all transfused components. Bacterial contamination of platelets and transfusion-transmitted babesiosis were the most frequently reported TTIs. Interventions that reduce the burden of bacterial contamination of platelets, particularly collected by apheresis, and Babesia transmission through RBC transfusion would  reduce transfusion recipient morbidity and mortality. These analyses demonstrate the value and importance of facility participation in national recipient hemovigilance using standard reporting criteria.
KEYWORDS:
Babesia spp.; Bacterial contamination; Hemovigilance; Transfusion-transmitted infections

Fonte:
; 33(2): 84-91; 2019. DOI: doi.org/10.1016/j.tmrv.2019.01.001.