Implementação de um método de passagem de casos centrado no receptor para reduzir os erros de comunicação no serviço de emergência

Kathleen Huth ; Anne M Stack ; Jonathan Hatoun ; Grace Chi ; Robert Blake ; Robert Shields ; Patrice Melvin
Título original:
Implementing receiver-driven handoffs to the emergency department to reduce miscommunication
Resumo:

CONTEXTO: Os problemas de comunicação durante a transferência de pacientes são uma das principais causas de erros no cuidado de saúde. Recomendações recentes, baseadas em consenso, para padronizar a transferência de informações de ambulatórios para o serviço de emergência (SE) não foram avaliadas formalmente. Procuramos determinar se uma intervenção para a passagem de casos estruturada, centrada no receptor, está associada a 1) maior inclusão de elementos padronizados, 2) menor ocorrência de erros de comunicação e 3) maiores percepções de qualidade, segurança e eficiência. MÉTODOS: Realizamos um estudo de intervenção prospectivo em um SE pediátrico e clínicas afiliadas de 2016 a 2018. Desenvolvemos um pacote de intervenções para a passagem de casos que incluiu um modelo-padrão, o treinamento dos receptores, uma campanha de conscientização e o feedback iterativo. Avaliamos uma amostra aleatória de passagens de casos gravadas em áudio e os prontuários médicos desses pacientes para medir as taxas de inclusão de elementos padronizados e a taxa de erros de comunicação. Entrevistamos os principais participantes antes e após a intervenção para avaliar as suas percepções sobre a qualidade, segurança e eficiência do processo de passagem de casos. RESULTADOS: Em 162 passagens de casos, a implementação da intervenção esteve associada a um aumento significativo da inclusão de elementos importantes, incluindo: gravidade da doença (46% vs. 77%), tarefas concluídas (64% vs. 83%), expectativas (61% vs. 76%), exames pendentes (0% vs. 64%), planos de contingência (0% vs. 54%), solicitação detalhada de contato telefônico (7% vs. 81%) e síntese (2% vs. 73%). Os problemas de comunicação diminuíram de 48% para 26%, uma redução relativa de 23% (IC 95%, -39% a -7%). As percepções sobre qualidade (35% vs. 59%), segurança (43% vs. 73%) e eficiência (17% vs. 72%) melhoraram significativamente após a intervenção. CONCLUSÕES: A implementação de uma intervenção para a passagem de casos centrada no receptor para padronizar as transferências entre o ambulatório e o SE esteve associada a melhorias na qualidade da comunicação. Estes resultados sugerem que a implementação ampliada de programas semelhantes pode melhorar significativamente o cuidado prestado a pacientes transferidos para o SE pediátrico.

Resumo Original:

BACKGROUND: Miscommunications during care transfers are a leading cause of medical errors. Recent consensus-based recommendations to standardise information transfer from outpatient clinics to the emergency department (ED) have not been formally evaluated. We sought to determine whether a receiver-driven structured handoff intervention is associated with 1) increased inclusion of standardised elements; 2) reduced miscommunications and 3) increased perceived quality, safety and efficiency. METHODS: We conducted a prospective intervention study in a paediatric ED and affiliated clinics in 2016-2018. We developed a bundled handoff intervention included a standard template, receiver training, awareness campaign and iterative feedback. We assessed a random sample of audio-recorded handoffs and associated medical records to measure rates of inclusion of standardised elements and rate of miscommunications. We surveyed key stakeholders pre-intervention and post-intervention to assess perceptions of quality, safety and efficiency of the handoff process. RESULTS: Across 162 handoffs, implementation of a receiver-driven intervention was associated with significantly increased inclusion of important elements, including illness severity (46% vs 77%), tasks completed (64% vs 83%), expectations (61% vs 76%), pending tests (0% vs 64%), contingency plans (0% vs 54%), detailed callback request (7% vs 81%) and synthesis (2% vs 73%). Miscommunications decreased from 48% to 26%, a relative reduction of 23% (95% CI -39% to -7%). Perceptions of quality (35% vs 59%), safety (43% vs 73%) and efficiency (17% vs 72%) improved significantly post-intervention. CONCLUSIONS: Implementation of a receiver-driven intervention to standardise clinic-to-ED handoffs was associated with improved communication quality. These findings suggest that expanded implementation of similar programmes may significantly improve the care of patients transferred to the paediatric ED.

Fonte: