Impacto das reuniões rápidas de equipes multidisciplinares sobre a segurança do paciente: uma revisão sistemática e proposta de taxonomia

Brian J Franklin ; Tejal K Gandhi ; David W Bates ; Nadia Huancahuari ; Charles A Morris ; Madelyn Pearson ; Michelle Beth Bass
Título original:
Impact of multidisciplinary team huddles on patient safety: a systematic review and proposed taxonomy
Resumo:

CONTEXTO: Embora tenham sido feitos avanços significativos, a segurança do paciente continua sendo uma preocupação fundamental para a saúde pública. As reuniões rápidas diárias para discutir, identificar e responder aos riscos de segurança são citadas como um método para melhorar a cultura de segurança em indústrias de operação complexa, como a aviação e a energia nuclear. Mais recentemente, as reuniões rápidas de segurança passaram a ser vistas como um mecanismo para melhorar a segurança do paciente no cuidado de saúde. Esta revisão sintetiza a literatura relacionada ao impacto das reuniões rápidas de segurança em hospitais. MÉTODOS: Realizamos uma revisão sistemática da literatura submetida à revisão por pares relacionada a reuniões rápidas de segurança programadas, multidisciplinares e realizadas em hospitais até dezembro de 2019. Selecionamos estudos (1) nos quais as reuniões rápidas de segurança fossem a principal intervenção avaliada e (2) que medissem o impacto aparente do programa de reuniões rápidas utilizando pelo menos um indicador quantitativo. RESULTADOS: Identificamos 1.034 artigos; 24 cumpriram os critérios para a revisão, dos quais 19 estudaram reuniões rápidas realizadas em uma única unidade e 5 no hospital como um todo ou em várias unidades. Nos 24 artigos incluídos, a comparação não controlada pré/pós-intervenção foi o desenho experimental predominante; identificamos apenas dois estudos controlados. Dentre os 12 estudos realizados em unidades específicas que apresentaram medidas completas de significância estatística para os resultados descritos, 11 relataram melhorias estatisticamente significativas em alguns ou todos os resultados. Os objetivos dos programas e a linguagem utilizada para descrevê-los variaram muito entre os estudos revistos. CONCLUSÃO: Embora haja muitos relatos isolados de programas bem-sucedidos de reuniões rápidas de segurança, e as evidências que revisamos pareçam ser geralmente favoráveis, as evidências de alta qualidade sobre o tema, submetidas à revisão por pares, particularmente em estudos que avaliassem o hospital como um todo, ainda estão em seus estágios iniciais. Estudos adicionais rigorosos – especialmente se estiverem concentrados no desenho e na fidelidade da implementação de programas de reuniões rápidas de segurança – melhorariam a compreensão coletiva da forma como as reuniões rápidas influenciam a segurança do paciente e outros desfechos específicos. Propomos uma taxonomia e métodos padronizados de comunicação de resultados para estudos futuros relacionados a reuniões rápidas de segurança, a fim de melhorar a comparabilidade e a qualidade das evidências.

Resumo Original:

BACKGROUND: Despite significant advances, patient safety remains a critical public health concern. Daily huddles-discussions to identify and respond to safety risks-have been credited with enhancing safety culture in operationally complex industries including aviation and nuclear power. More recently, huddles have been endorsed as a mechanism to improve patient safety in healthcare. This review synthesises the literature related to the impact of hospital-based safety huddles. METHODS: We conducted a systematic review of peer-reviewed literature related to scheduled, multidisciplinary, hospital-based safety huddles through December 2019. We screened for studies (1) in which huddles were the primary intervention being assessed and (2) that measured the huddle programme's apparent impact using at least one quantitative metric. RESULTS: We identified 1034 articles; 24 met our criteria for review, of which 19 reflected unit-based huddles and 5 reflected hospital-wide or multiunit huddles. Of the 24 included articles, uncontrolled pre-post comparison was the prevailing study design; we identified only two controlled studies. Among the 12 unit-based studies that provided complete measures of statistical significance for reported outcomes, 11 reported statistically significant improvement among some or all outcomes. The objectives of huddle programmes and the language used to describe them varied widely across the studies we reviewed. CONCLUSION: While anecdotal accounts of successful huddle programmes abound and the evidence we reviewed appears favourable overall, high-quality peer-reviewed evidence regarding the effectiveness of hospital-based safety huddles, particularly at the hospital-wide level, is in its earliest stages. Additional rigorous research-especially focused on huddle programme design and implementation fidelity-would enhance the collective understanding of how huddles impact patient safety and other targeted outcomes. We propose a taxonomy and standardised reporting measures for future huddle-related studies to enhance comparability and evidence quality.

Fonte: