Durma em segurança com as mãos limpas: melhorando a adesão à higienização das mãos no centro cirúrgico através da educação e de um maior acesso a produtos de higienização

Paul, ET ; Kuszajewski, M ; Davenport, A ; Thompson, JA ; Morgan, B
Título original:
Sleep safe in clean hands: Improving hand hygiene compliance in the operating room through education and increased access to hand hygiene products
Resumo:

CONTEXTO:
A adesão à higienização das mãos é baixa entre os profissionais de anestesia no centro cirúrgico, o que coloca os pacientes em risco de infecções evitáveis. O objetivo deste projeto foi melhorar a adesão à higienização das mãos educando os profissionais de anestesia sobre as 5 indicações da Organização Mundial da Saúde para a higienização das mãos e aumentando o acesso a produtos de higienização no centro cirúrgico.
MÉTODOS:
A observação da higienização das mãos no centro cirúrgico foi realizada em 3 fases: pré-implementação, pós-implementação e 60 dias pós-implementação.
RESULTADOS:
Os resultados mostraram melhorias significativas na adesão a cada uma das 5 indicações para a higienização das mãos, bem como na adesão geral. Também foram observadas melhorias significativas em cada uma das 3 fases da anestesia. Os resultados também mostraram uma diminuição significativa tanto no uso de luvas como no uso de dispositivos portáteis de higienização das mãos.
DISCUSSÃO
A educação e o monitoramento da higienização das mãos entre profissionais de anestesia no centro cirúrgico podem melhorar a adesão à higienização.
CONCLUSÕES:
Embora o uso do dispositivo portátil tenha diminuído, estudos futuros poderão se concentrar na observação de profissionais de anestesia individuais, e não na combinação preceptor/estudante, e também examinar a relação entre a proximidade dos produtos de higienização das mãos e a adesão.
PALAVRAS-CHAVE:
anestesia; anestesiologista; anestesiologista assistente; enfermeiro anestesista; centro cirúrgico; estudante de enfermagem
 

Resumo Original:

BACKGROUND:
Hand hygiene compliance is low among anesthesia providers in the operating room, which places patients at risk of preventable infections. The goal of this project was to improve hand hygiene compliance by educating anesthesia providers on the World Health Organization's 5 indications for hand hygiene, and increasing access to hand hygiene products in the operating room.
METHODS:
Observations of hand hygiene in the operating room took place in 3 phases: preimplementation, postimplementation, and 60 days postimplementation.
RESULTS:
The results showed significant improvements in compliance for each of the 5 indications for hand hygiene as well as overall compliance. Each of the 3 phases of anesthesia demonstrated significant improvement as well. The results also showed a significant decrease in both glove use and use of the portable hand sanitizer device.
DISCUSSION:
Education and monitoring of hand hygiene among anesthesia providers in the operating room can improve hand hygiene compliance.
CONCLUSIONS:
Although the use of the portable device declined, further studies could focus on observing single anesthesia providers instead of a preceptor/student combination, and also examine proximity to hand hygiene products in relation to compliance.
KEYWORDS:
Anesthesia; Anesthesiologist; Anesthesiologist assistant; Certified registered nurse anesthetist; Operating room; Student registered nurse anesthetist
 

Fonte:
; 47(5): 504-508; 2020. DOI: 10.1016/j.ajic.2018.10.021.