Associações entre uma nova escala de comportamentos prejudiciais e o trabalho em equipe, a segurança do paciente, o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, o esgotamento profissional e a depressão

Kyle J Rehder ; Kathryn C Adair ; Allison Hadley ; Allison Hadley
Título original:
Associations Between a New Disruptive Behaviors Scale and Teamwork, Patient Safety, Work-Life Balance, Burnout, and Depression
Resumo:

CONTEXTO: Os comportamentos prejudiciais e não profissionais ocorrem com frequência no cuidado de saúde e afetam negativamente o cuidado prestado ao paciente e a satisfação no trabalho dos profissionais da saúde. Foram feitas muito poucas avaliações destes comportamentos no ambiente de trabalho, e não compreendemos inteiramente como os comportamentos prejudiciais (CPs) estão associados a indicadores importantes, como o trabalho em equipe e o clima de segurança, o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, o esgotamento profissional e a depressão. OBJETIVOS: Realizando um inquérito transversal com todos os profissionais da saúde de um grande sistema de saúde dos EUA, este estudo procurou introduzir uma escala concisa para avaliar os CPs ao nível do ambiente de trabalho, avaliar as propriedades psicométricas da escala, gerar dados de referência sobre a prevalência no sistema de saúde e investigar associações entre os CPs e outras medidas validadas da cultura de segurança e do bem-estar. RESULTADOS: Um ou mais dentre seis CPs foram relatados em 97,8% dos ambientes de trabalho. Os CPs foram notificados em frequência semelhante por homens e mulheres, e pela maioria das funções entre os profissionais da saúde. A escala de seis itens para comportamentos prejudiciais demonstrou uma consistência interna de alfa=0,867. O clima de CPs esteve significativamente correlacionado com um pior clima de trabalho em equipe, pior clima de segurança, menor satisfação no trabalho e piores percepções sobre a administração hospitalar, menor equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, maior exaustão emocional (esgotamento profissional) e maior depressão (p<0,001 para todos os itens). Um aumento de 10 pontos no clima de CPs esteve associado a uma diminuição de 3,89 e 3,83 pontos no trabalho em equipe e no clima de segurança, respectivamente, e a um aumento de 3,16 e 2,42 pontos no esgotamento profissional e na depressão, respectivamente. CONCLUSÃO: Os comportamentos prejudiciais são comuns e mensuráveis e estão associados à cultura de segurança e ao bem-estar dos profissionais da saúde. Esta escala concisa oferece aos pesquisadores uma ferramenta nova, válida e útil para avaliar os CPs.
 

 

Resumo Original:

BACKGROUND: Disruptive and unprofessional behaviors occur frequently in health care and adversely affect patient care and health care worker job satisfaction. These behaviors have rarely been evaluated at a work setting level, nor do we fully understand how disruptive behaviors (DBs) are associated with important metrics such as teamwork and safety climate, work-life balance, burnout, and depression. OBJECTIVES: Using a cross-sectional survey of all health care workers in a large US health system, this study aimed to introduce a brief scale for evaluating DBs at a work setting level, evaluate the scale's psychometric properties and provide benchmarking prevalence data from the health care system, and investigate associations between DBs and other validated measures of safety culture and well-being. RESULTS: One or more of six DBs were reported by 97.8% of work settings. DBs were reported in similar frequencies by men and women, and by most health care worker roles. The six-item disruptive behavior scale demonstrated an internal consistency of alpha=0.867. DB climate was significantly correlated with poorer teamwork climate, safety climate, job satisfaction, and perceptions of management; lower work-life balance; increased emotional exhaustion (burnout); and increased depression (p < 0.001 for each). A 10-unit increase in DB climate was associated with a 3.89- and 3.83-point decrease in teamwork and safety climate, respectively, and a 3.16- and 2.42-point increase in burnout and depression, respectively. CONCLUSION: Disruptive behaviors are common, measurable, and associated with safety culture and health care worker well-being. This concise DB scale affords researchers a new, valid, and actionable tool to assess DBs.
 

 

Fonte:
; 46(1): 2019. DOI: 10.1016/j.jcjq.2019.09.004.