Aplicação da metodologia do Estudo Ibero-Americano de Eventos Adversos (IBEAS) em hospitais brasileiros

Mendes W ; Pavão ALB ; Martins M ; Travassos C
Título original:
The application of Iberoamerican study of adverse events (IBEAS) methodology in Brazilianhospitals.
Resumo:

OBJETIVO:
Avaliar a prevalência de eventos adversos (EAs) e investigar a sua associação com fatores relacionados ao paciente e à internação hospitalar.
DESENHO:
Estudo transversal.
AMBIENTE:
Quatro hospitais gerais localizados na região Sudeste do Brasil.
PARTICIPANTES:
Foram incluídos todos os pacientes internados nos hospitais participantes no momento da realização do estudo.
INTERVENÇÃO:
A metodologia se baseou no Estudo Ibero-Americano de Eventos Adversos, uma revisão de prontuários médicos em duas etapas.
DESFECHO PRINCIPAL:
Os prontuários médicos foram rastreados em busca de EAs somente no dia (24 horas) imediatamente anterior ao processo de revisão, independentemente da data de internação.
RESULTADOS:
Examinamos um total de 695 internações. A prevalência foi de 12,8%. Quase 43% dos EAs foram evitáveis. Mais de 60% dos pacientes que sofreram eventos tiveram a sua internação hospitalar prolongada. No modelo de regressão final, a internação urgente (odds ratio [OR]: 2,68; Intervalo de Confiança (IC) de 95%: 1,53-4,69), a realização de um procedimento (OR: 2,41; IC 95%: 1,33-4,39), a presença de um cateter venoso central (OR: 2,25; IC 95%: 1,14-4,41) e a terapia imunossupressora (OR: 3,41; IC 95%: 1,57-7,40) estiveram estatisticamente associados à ocorrência de EAs.
CONCLUSÕES:
Os nossos resultados indicam a ocorrência de 1,3 EA a cada 10 internações hospitalares no Brasil. Como a segurança do paciente continua sendo uma preocupação de saúde pública em todo o mundo, e principalmente em países em desenvolvimento, estes resultados indicam o potencial do uso de medidas de prevalência para monitorar a segurança do paciente no contexto brasileiro.
ar miss; segurança do paciente; cirurgia pediátrica,

Resumo Original:

OBJECTIVE:
To assess the prevalence of adverse events (AE) and to investigate its association with factors related to the patient and to hospital admission.
DESIGN:
Cross-sectional study.
SETTING:
Four general hospitals located in the southeastern region of Brazil.
PARTICIPANTS:
All patients admitted to the participating hospitals at the time of the study were surveyed.
INTERVENTION:
The methodology was based on the Iberoamerican study of adverse events, a two-stage medical record review.
MAIN OUTCOME MEASURE:
Medical records were screened for AE only in the day (24-h) immediately before the review process, independently of the admission date.
RESULTS:
A total of 695 admissions were examined. Prevalence was 12.8%. Almost 43% of AE were preventable. More than 60% of patients with an event prolonged hospital stay. In final regression model, urgent admission (OR: 2.68; Confidence Interval (CI) 95%: 1.53-4.69), submission to a procedure (odds ratio (OR): 2.41; CI 95%: 1.33-4.39), presence of central venous catheter (OR: 2.25; CI 95%: 1.14-4.41) and immunosuppressive therapy (OR: 3.41; CI 95%: 1.57-7.40) were statistically associated with AE.
CONCLUSIONS:
Our results indicate that around 1.3 AE happen in each 10 hospital admissions in Brazil. As patient safety continues to be a Public Health concern worldwide and mainly in developing countries, this would indicate the potential use of prevalence measures for monitoring patient safety in Brazilian context.

Fonte:
; 30(6): 480-485; 2019. DOI: 10.1093/intqhc/mzy055.