Revisão sistemática e metanálise da efetividade da conciliação medicamentosa liderada por farmacêuticos na comunidade após a alta hospitalar

Autor pessoal: 
McNAB, D.; BOWIE, P.; ROSS, A.; MACWALTER, G.; RYAN, M.; MORRISON, J.;
Título original: 
Systematic review and meta-analysis of the effectiveness of pharmacist-led medication reconciliation in the community after hospital discharge
Resumo: 

Contexto: A conciliação medicamentosa realizada por farmacêuticos na comunidade após a alta hospitalar visa reduzir os danos causados por medicamentos prescritos ou omitidos e aumentar a eficiência do cuidado de saúde, mas a efetividade desta abordagem não está clara. Fizemos uma revisão sistemática da literatura para avaliar a efetividade da intervenção em termos da identificação e resolução de discrepâncias, da relevância clínica das discrepâncias resolvidas e da utilização do cuidado de saúde, incluindo taxas de reinternação, atendimentos em serviços de emergência e carga de trabalho na atenção primária.

Métodos: Revisão sistemática da literatura e metanálise dos dados extraídos. Fizemos buscas nas bases de dados Medline, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), EMBASE, Allied and Complementary Medicine Database (AMED), Education Resources Information Center (ERIC), Scopus, NHS Evidence e Cochrane usando uma combinação de palavras-chave e pesquisa de texto livre. Incluímos estudos controlados que avaliassem a conciliação medicamentosa liderada por farmacêuticos na comunidade após a alta hospitalar. A qualidade dos estudos foi avaliada usando o Critical Appraisal Skills Programme. As evidências foram examinadas através da metanálise das taxas de reinternação. As taxas de identificação de discrepâncias, atendimentos em serviços de emergência e carga de trabalho na atenção primária foram avaliadas de forma narrativa.

Resultados: Foram adicionados 14 estudos, que incluíram cinco estudos clínicos randomizados controlados, seis estudos de coorte e três estudos do tipo pré/pós-intervenção. Ao todo, 12 estudos tiveram um risco moderado ou alto de vieses. O aumento da identificação e resolução de discrepâncias foi demonstrado nos quatro estudos em que isto foi avaliado. A redução de discrepâncias clinicamente relevantes foi demonstrada em dois estudos. A metanálise não demonstrou uma redução significativa nas taxas de reinternação. Não houve evidências consistentes de redução de atendimentos em serviços de emergência ou da carga de trabalho na atenção primária.

Conclusões: Os farmacêuticos podem identificar e resolver discrepâncias ao realizarem a conciliação medicamentosa após a alta hospitalar, mas não foram observadas melhorias consistentes nos resultados do cuidado ou na carga de trabalho. Estudos futuros devem examinar a relevância clínica das discrepâncias e os possíveis benefícios da redução da carga de trabalho de equipes de saúde.

Revista: 
BMJ Quality & Safety
doi: 
10.1136/bmjqs-2017-007087
Data de publicação: 
2018
Nota geral: 
Online First
Idioma do conteúdo: