Uso de uma ferramenta de empoderamento do paciente para a higienização das mãos

LASTINGER, A. ; GOMEZ, K. ; MANEGOLD, E. ; KHAKOO, R.
Título original:
Use of a patient empowerment tool for hand hygiene
Resumo:

Contexto: O empoderamento do paciente é reconhecido como um componente importante de uma estratégia multimodal para melhorar a adesão à higienização das mãos. Examinamos as atitudes de pacientes adultos e de pais de pacientes pediátricos em relação a uma nova ferramenta de empoderamento de pacientes (FEP) em nosso hospital. Também fizemos um inquérito com médicos para avaliar as suas percepções sobre a FEP.

Métodos: Realizamos um inquérito transversal com os pais de pacientes pediátricos e com pacientes adultos internados em um hospital universitário terciário de 531 leitos no estado de Virgínia do Oeste, nos EUA. Os questionários foram anônimos e autoadministrados. Um inquérito separado foi enviado por e-mail para médicos e residentes dos departamentos de medicina interna, pediatria e medicina de família.

Resultados: Em sua maioria, os pais e pacientes adultos consideraram que era seu papel falar caso um profissional não higienizasse as mãos, mas um menor número afirmou sentir-se realmente confortável em usar a FEP. Só 54,9% dos médicos consideraram que os pacientes deveriam ser envolvidos, lembrando aos profissionais para higienizarem as mãos. De modo geral, os médicos indicaram que prefeririam que um paciente usasse palavras ao invés da FEP para lembrá-los de higienizar as mãos.

Conclusões: Em nosso estudo, os pais e pacientes adultos apoiaram o uso da FEP, mas os médicos apoiaram menos. À medida que o movimento de empoderamento do paciente cresce para que seja bem-sucedido, devemos trabalhar para melhorar a aceitação dos médicos do envolvimento dos pacientes.

Palavras-Chave: Higienização das mãos; Lavagem das mãos; Empoderamento do paciente.

Resumo Original:

Background: Patient empowerment is recognized as an important component of a multimodal strategy to improve hand hygiene adherence. We examined the attitudes of adult patients and parents of pediatric patients toward a new patient empowerment tool (PET) at our hospital. We also surveyed physicians to determine their perceptions about the PET.

Methods: A cross-sectional survey was performed of hospitalized children's parents and adult patients in a 531-bed tertiary care teaching hospital in West Virginia. Surveys were anonymous and self-administered. A separate survey was administered via e-mail to resident and attending physicians from the departments of internal medicine, pediatrics, and family medicine.

Results: Most parents and adult patients felt it was their role to speak up if a provider did not perform hand hygiene, but a smaller number actually felt comfortable using the PET. Only 54.9% of physicians felt that patients should be involved in reminding providers to perform hand hygiene. Overall, physicians indicated that they would prefer a patient to use words rather than the PET to remind them to perform hand hygiene.

Conclusions: In our study, parents and adult patients supported use of the PET, but physicians were less supportive. As the patient empowerment movement grows, we should work to improve physician acceptance of patient involvement if it is to be successful.

Keywords: Hand hygiene; Handwashing; Patient empowerment.

Fonte:
Am J Infect Control ; 45(8): 824-829; 2017. DOI: 10.1016/j.ajic.2017.02.010.