Uma intervenção para reduzir as infecções da corrente sanguínea associadas a cateteres na UTI

PRONOVOST, P. ; NEEDHAM, D. ; BERENHOLTZ, S. ; SINOPOLI, D. ; CHU, H. ; COSGROVE, S. ; SEXTON, B.
Título original:
An Intervention to Decrease Catheter-Related Bloodstream Infections in the ICU
Resumo:

Contexto: As infecções da corrente sanguínea ocorridas na unidade de terapia intensiva (UTI) são comuns, dispendiosas e potencialmente fatais.

Métodos: Realizamos um estudo de coorte colaborativo, conduzido predominantemente nas UTIs do estado de Michigan, nos EUA. Implementamos uma intervenção baseada em evidências para reduzir a incidência de infecções da corrente sanguínea associadas a cateteres. Foi utilizado um modelo hierárquico de regressão de Poisson para comparar as taxas de infecção antes, durante e até 18 meses após o início da intervenção. As taxas de infecção por 1.000 cateteres-dia foram medidas em intervalos de 3 meses, de acordo com as diretrizes do National Nosocomial Infections Surveillance System.

Resultados: Um total de 108 UTIs concordou em participar do estudo, e 103 apresentaram seus dados. A análise incluiu os dados referentes a 1981 meses de internação nas UTIs e 375.757 cateteres-dia. A taxa mediana de infecções da corrente sanguínea associadas a cateteres por 1.000 cateteres-dia caiu de 2,7 infecções na linha de base a 0 após 3 meses desde o início da intervenção (? 0,002), e a taxa média por 1000 cateteres-dia caiu de 7,7 na linha de base a 1,4 uma vez decorridos 16 a 18 meses de acompanhamento (p < 0,002). O modelo de regressão demonstrou uma queda significativa nas taxas de infecção a partir da linha de base: a razão das taxas de incidência caiu continuamente de 0,62 (intervalo de confiança [IC] de 95%, 0,47 a 0,81) no período entre 0 e 3 meses após o início da intervenção para 0,34 (IC 95%, 0,23 a 0,50) no período entre 16 e 18 meses.

Conclusões: Uma intervenção baseada em evidências resultou numa redução considerável e sustentada (de até 66%) nas taxas de infecções da corrente sanguínea associadas a cateteres; a redução se manteve ao longo do período de estudo de 18 meses.

Resumo Original:

Background: Catheter-related bloodstream infections occurring in the intensive care unit (ICU) are common, costly, and potentially lethal.

Methods: We conducted a collaborative cohort study predominantly in ICUs in Michigan. An evidence-based intervention was used to reduce the incidence of catheter-related bloodstream infections. Multilevel Poisson regression modeling was used to compare infection rates before, during, and up to 18 months after implementation of the study intervention. Rates of infection per 1000 catheter-days were measured at 3-month intervals, according to the guidelines of the National Nosocomial Infections Surveillance System.

Results: A total of 108 ICUs agreed to participate in the study, and 103 reported data. The analysis included 1981 ICU-months of data and 375,757 catheter-days. The median rate of catheter-related bloodstream infection per 1000 catheter-days decreased from 2.7 infections at baseline to 0 at 3 months after implementation of the study intervention (?0.002), and the mean rate per 1000 catheter-days decreased from 7.7 at baseline to 1.4 at 16 to 18 months of follow-up (P<0.002). The regression model showed a significant decrease in infection rates from baseline, with incidence-rate ratios continuously decreasing from 0.62 (95% confidence interval [CI], 0.47 to 0.81) at 0 to 3 months after implementation of the intervention to 0.34 (95% CI, 0.23 to 0.50) at 16 to 18 months.

Conclusions: An evidence-based intervention resulted in a large and sustained reduction (up to 66%) in rates of catheter-related bloodstream infection that was maintained throughout the 18-month study period.

Fonte:
N. Engl. J. Med ; 355(26): 2725-32; 2006. DOI: 10.1056/NEJMoa061115.
DECS:
Infecções relacionadas a cateter, UTI, doenças hematologicas