Uma experiência com a gestão integrada de riscos clínicos

Fernandez-Castello, A. I. ; Valle-Perez, P. ; Pagonessa-Damonte, M. L. ; Blazquez-Munoz, M. ; Tomas, J. F.
Título original:
An experience in integrated management of clinical risks
Resumo:

CONTEXTO: Gestão de riscos clínicos sob o modelo de gestão integrada de riscos da organização BUPA (British United Provident Association). MATERIAIS E MÉTODOS: A BUPA é um grupo internacional que fornece serviços e seguros de saúde. O projeto foi limitado à Europa e América Latina, e este artigo apresenta os resultados relacionados aos hospitais. O modelo de gestão integrada de riscos baseia-se numa estrutura de governança, num referencial de gestão de riscos e na gestão de riscos em si (um processo contínuo de identificação, avaliação, gerenciamento, monitoramento e notificação). Com relação a esta última, elaboramos um catálogo de riscos clínicos em potencial, usando como referência as normas da Joint Commission International (JCI) e aplicando-as aos hospitais para identificar os riscos a que estavam expostos em suas atividades diárias. Realizamos uma avaliação baseada no impacto dos riscos e na sua probabilidade de ocorrência e então, segundo a pontuação residual e inerente obtida, determinamos as ações a serem tomadas para cada risco e a efetividade dos controles. Estabelecemos também um programa de monitoramento contínuo dos perfis de risco e as informações a serem compartilhadas com o Conselho de Administração. RESULTADOS: O catálogo incluiu 126 riscos e 479 controles, divididos por áreas de aplicação. Na avaliação dos riscos inerentes, 84% dos riscos estavam num nível aceitável e presumível, e em 16% foi necessário estabelecer um plano de ação. CONCLUSÕES: Nas condições do estudo, acreditamos que a implementação de um sistema integrado de gestão dos riscos clínicos permite prestar serviços que atendam aos requisitos legais e normas de boas práticas (no nosso caso, as normas da JCI). Isto permitiu avançar na gestão da organização, melhorando a sua eficiência na alocação de recursos para a gestão de riscos e a adaptação ao ambiente e aos pacientes. Além disso, esta estratégia pode facilitar a tomada de decisões e promover a capacidade de transformação da organização.

Resumo Original:

BACKGROUND: Manage clinical risks under the integrated risk management model of the BUPA organization (British United Provident Association). MATERIALS AND METHODS: BUPA is an international group that provides health insurance and healthcare services. The project has been limited to Europe and Latin America (ELA) and this article presents the results related to hospitals. The integral risk management model was based on a governance structure, a risk management framework and the risk management itself (continuous process of identification, evaluation, management, monitoring and reporting). For the latter, a catalog of potential clinical risks was drawn up, using the Joint Commission International (JCI) standards as a reference and applied to a hospital to identify the risk to which they were exposed in their daily activity. An evaluation was conducted, based on its impact and probability of occurrence and depending on the residual and inherent score obtained, the action on each risk and the effectiveness of the controls were determined. A continuous monitoring of the risk profile and the information to share with the Board was defined. RESULTS: The catalog consisted of 126 risks and 479 controls, divided by areas of application. In the assessment of the inherent risk, 84% of the risks were at an acceptable and assumable level, and in 16% it was necessary to establish an action plan. CONCLUSIONS: Under the conditions of the study, we believe the benefits of implementing an integrated management of clinical risk system consisted in providing services that meet the legal requirements and standards of good practice (in our case, the JCI's standards). They allowed us to advance in the organization's management of, improving its efficiency in the allocation of resources for risk management and adaptation to the environment and the patient. In addition, this strategy can facilitate decision-making and encourage the organization's transformation capacity.

Fonte:
; 33(6): 2019. DOI: doi.org/10.1016/j.jhqr.2018.09.002.