Um referencial explicativo de aprendizagem organizacional para a segurança do paciente

EDWARDS, M. T.
Título original:
An Organizational Learning Framework for Patient Safety
Resumo:

Apesar dos esforços coordenados para melhorar a qualidade e a segurança, a alta confiabilidade continua a ser um objetivo distante. Embora isso provavelmente reflita as dificuldades em promover mudanças organizacionais, as persistentes controvérsias sobre questões básicas sugerem que deficiências nos modelos conceituais podem ser um fator contribuinte. A essência da melhoria operacional é a aprendizagem organizacional. Este artigo apresenta um referencial para a identificação de pontos de alavancagem para a melhoria com base na teoria da aprendizagem organizacional e aplica esse referencial para analisar as práticas e controvérsias atuais. As organizações aprendem com os outros, a partir dos defeitos, da medição e da conscientização. Estes modos de aprendizagem correspondem aos temas contemporâneos da colaboração, da cultura de não culpabilidade por erros humanos, da responsabilização pelo desempenho e da gestão das incertezas. O modelo colaborativo tem dominado as iniciativas de melhoria. Uma maior atenção aos modos menos desenvolvidos de aprendizagem organizacional pode promover um progresso mais rápido na segurança do paciente, aumentando as capacidades organizacionais, fortalecendo a cultura de segurança e identificando mais problemas de processo que contribuem para causar danos aos pacientes.

Resumo Original:

Despite concerted effort to improve quality and safety, high reliability remains a distant goal. Although this likely reflects the challenge of organizational change, persistent controversy over basic issues suggests that weaknesses in conceptual models may contribute. The essence of operational improvement is organizational learning. This article presents a framework for identifying leverage points for improvement based on organizational learning theory and applies it to an analysis of current practice and controversy. Organizations learn from others, from defects, from measurement, and from mindfulness. These learning modes correspond with contemporary themes of collaboration, no blame for human error, accountability for performance, and managing the unexpected. The collaborative model has dominated improvement efforts. Greater attention to the underdeveloped modes of organizational learning may foster more rapid progress in patient safety by increasing organizational capabilities, strengthening a culture of safety, and fixing more of the process problems that contribute to patient harm.

Fonte:
Am J Med Qual ; 32(2): 148-155; 2016. DOI: 10.1177/1062860616632295.