Um processo multidisciplinar de passagem de casos para padronizar a transferência de pacientes entre a unidade de terapia intensiva e o centro cirúrgico

Karamchandani K ; Fitzgerald K ; Carroll D ; Trauger ME ; Ciccocioppo LA ; Hess W ; Prozesky J
Título original:
A Multidisciplinary Handoff Process to Standardize the Transfer of Care Between the Intensive Care Unit and the Operating Room.
Resumo:

OBJETIVO:
Os pacientes criticamente doentes apresentam um alto risco de eventos adversos na transferência entre a unidade de terapia intensiva e o centro cirúrgico. Em nossa instituição, foram levantadas preocupações com a segurança do paciente durante essas transferências, e a ausência de um processo padronizado de transferência de pacientes foi identificada como uma área a ser abordada.
MÉTODOS:
Mapeamos o estado atual dos processos de transferência de pacientes entre as unidades de terapia intensiva (UTIs) e o centro cirúrgico (CC) e identificamos os modos de falha. Reunimos uma equipe multidisciplinar para desenvolver um processo padronizado de transferência, bem como uma ferramenta (lista de verificação). A adesão ao processo e a satisfação da equipe de saúde foram avaliadas ao final de um período-piloto de 60 dias.
RESULTADOS:
A implementação do processo foi bem-sucedida em todo o hospital, cobrindo todas as UTIs adultas e pediátricas. Observamos uma taxa de conformidade de 90% nas transferências das UTIs para o CC e de 95% nas transferências do CC para as UTIs durante o período-piloto de 60 dias. A equipe de saúde expressou satisfação geral com o processo e identificou possíveis áreas de melhoria.
CONCLUSÃO:
Um processo padronizado de transferência de pacientes entre UTIs e CC pode ser implementado com sucesso em um grande centro médico universitário. A aplicação universal desta ferramenta de melhoria da qualidade pode reduzir a ocorrência de danos a pacientes, melhorando a comunicação entre os profissionais e a segurança do paciente.

Resumo Original:

bstract
OBJECTIVE:
Critically ill patients are at high risk for adverse events on transfer between intensive care unit and operating room. Patient safety concerns were raised within our institution during such transfers, and absence of a standardized patient handoff process was identified as an area of concern.
METHODS:
The current state of the patient transfer processes between the intensive care units (ICUs) and the operating rooms (ORs) was mapped and failure modes were identified. A multidisciplinary team was convened and a standardized handoff process and tool (checklist) was developed. Adherence to the process and care team satisfaction was assessed at the end of a 60-day pilot period.
RESULTS:
The process was successfully implemented hospital-wide covering all adult and pediatric ICUs. We observed a 90% compliance rate with ICU to the OR transfers and 95% compliance rate with transfers from OR to the ICU during the 60-day pilot period. The care team expressed overall satisfaction with the process and identified potential areas of improvement.
CONCLUSION:
A standardized patient handoff process between the ICU and the ORs can be successfully implemented in a large academic medical center. Universal application of this quality improvement tool can reduce patient harm, improve communication between providers, and enhance patient safety.

Fonte:
; 27(4): 215-222; 2018. DOI: 10.1097/QMH.0000000000000187.