Um estudo etnográfico para comparar as abordagens de aprendizagem e compartilhamento de conhecimentos interprofissional no planejamento da alta hospitalar e as transições de cuidado

Waring, J. ; Bishop, S. ; Marshall, F. ; Tyler, N. ; Vickers, R.
Título original:
An ethnographic study comparing approaches to inter-professional knowledge sharing and learning in discharge planning and care transitions
Resumo:

Objetivo: O objetivo deste artigo é investigar como três intervenções de comunicação comumente utilizadas durante o planejamento da alta hospitalar e as transições de cuidado permitem a aprendizagem e o compartilhamento de conhecimentos interprofissional, servindo como base para um trabalho mais integrado. Estas intervenções incluem sistemas de comunicação de informações, funções dedicadas de planejamento da alta hospitalar e atividades de planejamento em grupo. Desenho/metodologia/abordagem: Realizamos um estudo etnográfico com duração de dois anos em dois sistemas regionais de saúde do National Health Service inglês, com foco na alta de pacientes com AVC e fratura de quadril. A coleta de dados envolveu observações aprofundadas e 213 entrevistas semiestruturadas. Resultados: Os sistemas de informação (tais como os prontuários médicos eletrônicos) representam um canal relativamente estável para as formas rotineiras e padronizadas de troca de informações sintáticas que podem “ultrapassar” as fronteiras dos conhecimentos no tempo e no espaço. Os papéis especializados para a alta hospitalar (como o dos coordenadores de alta) favorecem formas personalizadas e dinâmicas de compartilhamento de conhecimentos “semânticos” que podem “mediar” fronteiras epistêmicas e culturais. As atividades em grupo (tais como as reuniões de equipe) servem como base para uma tradução mais direta de conhecimentos “pragmáticos”, que podem apoiar a formação de “vínculos” interprofissionais ao nível cultural e organizacional, mas onde fatores ligados à inclusão complicam os intercâmbios. Limitações/implicações da pesquisa: Este estudo apresenta uma análise de como as fronteiras profissionais complicam o planejamento da alta hospitalar e as transições de cuidado e de como o potencial de diferentes intervenções de comunicação promove o compartilhamento de conhecimentos e a aprendizagem. Originalidade/valor: Este artigo baseia-se na pesquisa existente sobre a colaboração interprofissional e a segurança do paciente, concentrando-se nos problemas de comunicação e coordenação no contexto do planejamento da alta hospitalar e das transições de cuidado. Sugerimos aqui que os sistemas de saúde procurem desenvolver múltiplas abordagens complementares para a comunicação interprofissional, que ofereçam oportunidades para o compartilhamento dinâmico de conhecimentos e a aprendizagem. 
 

Resumo Original:

Purpose: The purpose of this paper is to investigate how three communication interventions commonly used during discharge planning and care transitions enable inter-professional knowledge sharing and learning as a foundation for more integrated working. These interventions include information communication systems, dedicated discharge planning roles and group-based planning activities. Design/methodology/approach: A two-year ethnographic study was carried out across two regional health and care systems in the English National Health Service, focussing on the discharge of stroke and hip fracture patients. Data collection involved in-depth observations and 213 semi-structured interviews. Findings: Information systems (e.g. e-records) represent a relatively stable conduit for routine and standardised forms of syntactic information exchange that can “bridge” time–space knowledge boundaries. Specialist discharge roles (e.g. discharge coordinators) support personalised and dynamic forms of “semantic” knowledge sharing that can “broker” epistemic and cultural boundaries. Group-based activities (e.g. team meetings) provide a basis for more direct “pragmatic” knowledge translation that can support inter-professional “bonding” at the cultural and organisational level, but where inclusion factors complicate exchange. Research limitations/implications: The study offers analysis of how professional boundaries complicate discharge planning and care transition, and the potential for different communication interventions to support knowledge sharing and learning. Originality/value: The paper builds upon existing research on inter-professional collaboration and patient safety by focussing on the problems of communication and coordination in the context of discharge planning and care transitions. It suggests that care systems should look to develop multiple complementary approaches to inter-professional communication that offer opportunities for dynamic knowledge sharing and learning. 
 

Fonte:
; 33( 6): 677-694; 2019. DOI: 10.1108/JHOM-10-2018-0302.