Transfusão de sangue: identificação e empoderamento do paciente

STOUT, L. ; JOSEPH, S.
Título original:
Blood transfusion: patient identification and empowerment
Resumo:

A identificação positiva do paciente é crucial para várias etapas do processo transfusional. É fundamental para garantir que o sangue correto seja administrado ao paciente correto. A identificação errada do paciente tem consequências potencialmente fatais para os pacientes. Historicamente, o envolvimento do paciente na área da saúde centrou-se no processo decisório clínico, em que o paciente munido de informações médicas é encorajado a participar das decisões relacionadas ao seu tratamento individualizado. Este artigo explora os aspectos da contribuição do paciente para a sua segurança em relação à identificação positiva na transfusão. O engajamento dos pacientes em seus próprios cuidados, no entanto, exige que clínicos reconheçam a diversidade e a capacidade de envolvimento dos pacientes. Não se deve presumir que todos os pacientes estejam dispostos ou possam participar. Além disso, as atitudes dos médicos em relação à participação do paciente em sua segurança podem determinar se a mudança cultural é bem-sucedida.

Resumo Original:

Positive patient identification is pivotal to several steps of the transfusion process; it is integral to ensuring that the correct blood is given to the correct patient. If patient misidentification occurs, this has potentially fatal consequences for patients. Historically patient involvement in healthcare has focused on clinical decision making, where the patient, having been provided with medical information, is encouraged to become involved in the decisions related to their individualised treatment. This article explores the aspects of patient contribution to patient safety relating to positive patient identification in transfusion. When involving patients in their care, however, clinicians must recognise the diversity of patients and the capacity of the patient to be involved. It must not be assumed that all patients will be willing or indeed able to participate. Additionally, clinicians' attitudes to patient involvement in patient safety can determine whether cultural change is successful.

Fonte:
Br J Nurs ; 25(3): 138-143; 2016. DOI: 10.12968/bjon.2016.25.3.138.