Sustentando o compromisso com as reuniões rápidas de segurança do paciente: lições aprendidas em oito equipes de enfermarias de cuidado agudo

Jane Montagu ; Kate Crosswaite ; Laura Lamming ; Alison Cracknell ; Alison Lovatt ; Mohammed A Mohammed
Título original:
Sustaining the commitment to patient safety huddles: insights from eight acute hospital ward teams
Resumo:

CONTEXTO: Uma iniciativa recente em ambientes hospitalares é a realização de reuniões rápidas de segurança do paciente (RRSP): breves reuniões multidisciplinares realizadas para chamar a atenção para problemas de segurança do paciente e ações para mitigar os riscos identificados. OBJETIVO: Os autores estudaram oito equipes de enfermarias que sustentaram as RRSP por mais de dois anos, a fim de identificar os principais fatores contribuintes. MÉTODOS: Realizamos observações não anunciadas das RRSP em oito enfermarias de um hospital do Reino Unido. Também conduzimos entrevistas e grupos focais. Estas foram gravadas e transcritas para uma análise estruturada. RESULTADOS: Uma série de fatores contribui para a sustentabilidade das RRSP, incluindo um alto grau de convicção e consenso em relação ao propósito das reuniões, adaptabilidade, determinação, envolvimento multidisciplinar, a criação de um espaço sem julgamentos, lideranças comprometidas e processos de recompensa e celebração consistentes. CONCLUSÃO: As reuniões estudadas foram desenvolvidas e moldadas ao longo do tempo por meio de um processo de tentativa e erro, associado à persistência. De modo geral, este estudo oferece lições sobre os fatores que contribuem para essa sustentabilidade.
 

Resumo Original:

BACKGROUND: A recent initiative in hospital settings is the patient safety huddle (PSH): a brief multidisciplinary meeting held to highlight patient safety issues and actions to mitigate identified risks. AIM: The authors studied eight ward teams that had sustained PSHs for over 2 years in order to identify key contributory factors. METHODS: Unannounced observations of the PSH on eight acute wards in one UK hospital were undertaken. Interviews and focus groups were also conducted. These were recorded and transcribed for framework analysis. FINDINGS: A range of factors contributes to the sustainability of the PSH including a high degree of belief and consensus in purpose, adaptability, determination, multidisciplinary team involvement, a non-judgemental space, committed leadership and consistent reward and celebration. CONCLUSION: The huddles studied have developed and been shaped over time through a process of trial and error, and persistence. Overall this study offers insights into the factors that contribute to this sustainability.