Segurança psicológica e práticas de prevenção de infecções: resultados de um inquérito nacional

M. ToddGreenePhD, MPH ; Heather M.GilmartinPhD, NP ; SanjaySaintMD, MPH
Título original:
Psychological safety and infection prevention practices: Results from a national survey
Resumo:

CONTEXTO: A segurança psicológica é um fator crucial para o aprendizado em equipe, afetando positivamente a segurança do paciente. Procuramos examinar a influência da segurança psicológica sobre o uso de práticas recomendadas de prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) em hospitais dos EUA. MÉTODOS: Enviamos questionários a profissionais responsáveis pela prevenção de infecções em uma amostra aleatória de quase 900 hospitais de cuidado agudo dos EUA em 2017. O inquérito perguntava sobre as características dos hospitais e dos programas de controle de infecções, fatores organizacionais e o uso de práticas para prevenir IRAS comuns. Os hospitais que obtiveram uma pontuação de 4 ou 5 (em uma escala de Likert de 5 pontos) em 7 questões sobre a segurança psicológica foram classificados como de alta segurança psicológica. Ponderando a amostra, fizemos uma regressão multivariável para determinar associações entre a segurança psicológica e o uso de práticas selecionadas de prevenção de IRAS. RESULTADOS: A taxa de resposta ao inquérito foi de 59%. Foi relatada uma alta segurança psicológica em aproximadamente 38% dos hospitais participantes, e ela esteve associada a uma maior propensão ao uso regular de lembretes ou ordens para a interrupção do uso de cateter urinário e/ou interrupção do uso de cateter urinário iniciada por enfermeiros (odds ratio, 2,37; p=0,002) para a prevenção de infecção do trato urinário associada a cateter, e ao uso regular de interrupção da sedação (odds ratio, 1,93; p=0,04) para a prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica. CONCLUSÕES: Apresentamos aqui um retrato da segurança psicológica em hospitais dos EUA e a forma como esta característica influencia o uso de práticas selecionadas de prevenção de IRAS. Uma cultura de segurança psicológica deve ser considerada como parte essencial dos esforços de prevenção de IRAS.
 

Resumo Original:

BACKGROUND: Psychological safety is a critical factor in team learning that positively impacts patient safety. We sought to examine the influence of psychological safety on using recommended health care-associated infection (HAI) prevention practices within US hospitals. METHODS: We mailed surveys to infection preventionists in a random sample of nearly 900 US acute care hospitals in 2017. Our survey asked about hospital and infection control program characteristics, organizational factors, and the use of practices to prevent common HAIs. Hospitals that scored 4 or 5 (5-point Likert scale) on 7 psychological safety questions were classified as high psychological safety. Using sample weights, we conducted multivariable regression to determine associations between psychological safety and the use of select HAI prevention practices. RESULTS: Survey response rate was 59%. High psychological safety was reported in approximately 38% of responding hospitals, and was associated with increased odds of regularly using urinary catheter reminders or stop-orders and/or nurse-initiated urinary catheter discontinuation (odds ratio, 2.37; P=.002) for catheter-associated urinary tract infection prevention, and regularly using sedation vacation (odds ratio, 1.93; P=.04) for ventilator-associated pneumonia prevention. CONCLUSIONS: We provide a snapshot of psychological safety in US hospitals and how this characteristic influences the use of select HAI prevention practices. A culture of psychological safety should be considered an integral part of HAI prevention efforts.
 

Fonte:
; 48(1): 2-6; 2020. DOI: doi.org/10.1016/j.ajic.2019.09.027.