Segurança do paciente e conscientização sobre a qualidade em unidades de terapia intensiva neonatais

van der Starre C ; Helder O ; Tissières P ; Thiele N ; Ares S
Título original:
Patient safety and quality awareness in neonatal intensive care
Resumo:

Os bebês internados em unidades de terapia intensiva neonatais (UTINs) correm um grande risco de sofrer danos causados por lapsos de qualidade ou segurança. A melhoria da segurança do paciente é um componente importante de um cuidado de alta qualidade e requer o apoio de um sistema apropriado para a identificação, investigação e desenvolvimento do aprendizado a partir de problemas de qualidade. Embora existam vários métodos para melhorar a qualidade, a liderança e a implementação local são fundamentais para melhorar os resultados de saúde para bebês doentes. A qualidade no cuidado de saúde tem seis domínios potenciais: foco no paciente, segurança do paciente, efetividade, eficiência, equidade e rapidez na prestação do cuidado, que devem formar a base de qualquer programa de qualidade para o cuidado neonatal. Estes domínios podem ser abordados usando três componentes principais: estrutura, monitoramento de dados e cultura. Um sistema de qualidade precisa ser promovido em nível da direção hospitalar, mas é liderado pela equipe de atenção neonatal, com apoio da equipe de melhoria da qualidade. Os componentes estruturais também incluem um sistema de coleta de dados para monitorar indicadores-chave priorizados pela equipe de atenção neonatal. O sistema deve desenvolver uma cultura de segurança que promova a transparência, a notificação sem culpabilidade e o desenvolvimento do aprendizado a partir de eventos clínicos notificados dentro do sistema. As unidades devem estabelecer um conselho consultivo para coordenar e dirigir as iniciativas de melhoria da qualidade.

Resumo Original:

Infants admitted to a neonatal intensive care unit (NICU) are at a high risk of being harmed by lapses in quality or safety. Improving patient safety is an important component of high quality care and requires the support of an appropriate system for the identification, investigation and development of learning from quality issues. Although there are several schemes for quality improvement, local leadership and implementation are critical to improving outcomes for ill infants. (1–6)There are six potential domains in quality of healthcare: patient centeredness, patient safety, efficacy, efficiency, timeliness, and equitability, which should form the basis of any quality programme in neonatal care. These may be addressed using three major components: structure, data monitoring and culture. A Quality system needs to be championed at hospital board level but is led from within the neonatal team, supported by the quality improvement staff. Structural components also include a system capturing data to monitor key indicators as prioritised by the neonatal team. The system should develop a safety culture in which transparency, blame free reporting and the development of learning from clinical events reported within the system. Units should establish an advisory board to coordinate and direct quality improvement initiatives.

Fonte:
; 2020.