Resolução de lacunas na qualidade: revisão do estado da ciência (vol. 5: divulgação pública como estratégia de melhoria de qualidade)

TOTTEN, A. M. ; WAGNER, J. ; TIWARI, A. ; O'HAIRE, C. ; GRIFFIN, J. ; WALKER, M.
Título original:
Closing the quality gap: revisiting the state of the science (vol. 5: public reporting as a quality improvement strategy).
Resumo:

Objetivos: O objetivo desta revisão foi avaliar a efetividade da divulgação pública de informações sobre a qualidade do cuidado de saúde como uma estratégia de melhoria de qualidade. Procuramos determinar se a divulgação pública resulta em melhorias na prestação do cuidado de saúde e nos resultados do cuidado. Consideramos também se a divulgação pública afeta o comportamento dos pacientes ou dos prestadores do cuidado de saúde. Por fim, avaliamos se as características da divulgação pública e o contexto afetam o impacto da divulgação.

Fontes de dados: Identificamos artigos publicados entre 1980 e 2011 por meio de pesquisas nas bases de dados MEDLINE®, Embase, EconLit, PsychINFO, Business Source Premier, CINAHL, PAIS, Cochrane Database of Systematic Reviews, EPOC Register of Studies, DARE, NHS EED, HEED, NYAM Grey Literature Report Database e outras fontes (especialistas, listas de referências e literatura cinzenta).

Métodos de revisão: Rastreamos as citações segundo critérios de inclusão e exclusão desenvolvidos com base em nossa definição de divulgação pública. Inicialmente, não excluímos nenhum estudo por causa de seu desenho. Das 11.809 citações identificadas na triagem de títulos e resumos, rastreamos e revisamos 1.632 artigos. Ao todo, 97 estudos quantitativos e 101 qualitativos foram incluídos, resumidos, inseridos em tabelas e avaliados. A heterogeneidade dos resultados, bem como dos métodos, impediu a realização de uma síntese quantitativa formal. Utilizamos revisões sistemáticas para identificar estudos, mas suas conclusões não foram incluídas nesta revisão.

Resultados: Para a maioria dos resultados, a força das evidências disponíveis para avaliar o impacto da divulgação pública foi moderada. Isso se deveu, em parte, às dificuldades metodológicas que os pesquisadores enfrentam ao desenhar e conduzir estudos sobre o impacto de intervenções no nível da população. A divulgação pública está associada a melhorias nos indicadores de desempenho do cuidado de saúde, tais como aqueles incluídos no Nursing Home Compare. Quase todos os estudos identificados não encontraram evidências, ou só encontraram evidências fracas, de que a divulgação pública afeta a seleção dos prestadores do cuidado de saúde pelos pacientes ou seus representantes. Estudos sobre as respostas dos prestadores do cuidado de saúde à divulgação pública sugerem que eles se envolvem em atividades para melhorar a qualidade quando os dados sobre o desempenho são tornados públicos. As características da divulgação pública e do contexto, que provavelmente são importantes ao considerarmos a difusão de atividades de melhoria de qualidade, raramente foram estudadas, ou mesmo descritas.

Conclusões: A heterogeneidade dos resultados e a força moderada das evidências para a maioria dos resultados fazem com que seja difícil chegar a conclusões definitivas. No entanto, algumas observações foram corroboradas pela pesquisa existente. A divulgação pública está mais associada a mudanças nos comportamentos dos prestadores do cuidado de saúde que à seleção dos prestadores pelos pacientes ou suas famílias. Indicadores de qualidade divulgados publicamente melhoram ao longo do tempo. Embora o potencial de danos seja frequentemente citado por comentaristas e críticos da divulgação pública, a pesquisa sobre os danos é limitada, e a maioria dos estudos não confirma os potenciais danos.

Resumo Original:

Objectives: The goal of this review was to evaluate the effectiveness of public reporting of health care quality information as a quality improvement strategy. We sought to determine if public reporting results in improvements in health care delivery and patient outcomes. We also considered whether public reporting affects the behavior of patients or of health care providers. Finally we assessed whether the characteristics of the public reports and the context affect the impact of public reports.

Data Sources: Articles available between 1980 and 2011 were identified through searches of the following bibliographical databases: MEDLINE®, Embase, EconLit, PsychINFO, Business Source Premier, CINAHL, PAIS, Cochrane Database of Systematic Reviews, EPOC Register of Studies, DARE, NHS EED, HEED, NYAM Grey Literature Report database, and other sources (experts, reference lists, and gray literature).

Review Methods: We screened citations based on inclusion and exclusion criteria developed based on our definition of public reporting. We initially did not exclude any studies based on study design. Of the 11,809 citations identified through title and abstract triage, we screened and reviewed 1,632 articles. A total of 97 quantitative and 101 qualitative studies were included, abstracted, entered into tables, and evaluated. The heterogeneity of outcomes as well as methods prohibited formal quantitative synthesis. Systematic reviews were used to identify studies, but their conclusions were not incorporated into this review.

Results: For most of the outcomes, the strength of the evidence available to assess the impact of public reporting was moderate. This was due in part to the methodological challenges researchers face in designing and conducting research on the impact of population-level interventions. Public reporting is associated with improvement in health care performance measures such as those included in Nursing Home Compare. Almost all identified studies found no evidence or only weak evidence that public reporting affects the selection of health care providers by patients or their representatives. Studies of health care providers' response to public reports suggest they engage in activities to improve quality when performance data are made public. Characteristics of public reports and the context, which are likely to be important when considering the diffusion of quality improvement activities, were rarely studied or even described.

Conclusions: The heterogeneity of the outcomes and the moderate strength of evidence for most outcomes make it difficult to draw definitive conclusions. However, some observations were supported by existing research. Public reporting is more likely to be associated with changes in health care provider behaviors than with selection of health services providers by patients or families. Quality measures that are publicly reported improve over time. Although the potential for harms is frequently cited by commentators and critics of public reporting, the amount of research on harms is limited and most studies do not confirm the potential harm.

Fonte:
Evid Rep Technol Assess ; 208.5: 1-645; 2012.