Reformulação da atenção primária na rede de seguridade social: uma análise qualitativa da implementação de um cuidado baseado na equipe de saúde

Lyson, H. C. ; Ackerman, S. ; Lyles, C. ; Schillinger, D. ; Williams, P. ; Gourley, G. ; Gupta, R.
Título original:
Redesigning primary care in the safety net: A qualitative analysis of team-based care implementation
Resumo:

Contexto: O cuidado baseado na equipe de saúde é uma abordagem inovadora para a atenção primária, na qual grupos de profissionais da saúde trabalham de forma colaborativa para gerir o cuidado de grupos de pacientes. As organizações que fazem parte de safety nets (organização que presta serviços a populações de baixa renda e/ou sem seguro de saúde) enfrentam barreiras específicas para a implementação de inovações no cuidado de saúde. São necessários mais estudos para documentar as dinâmicas que fundamentam a implementação e a sustentação de práticas inovadoras na rede de seguridade social. Métodos: Realizamos um trabalho de campo qualitativo que incluiu observação propositada e entrevistas semiestruturadas e informais, para explorar a implementação de equipes de saúde em clínicas pertencentes à safety net na Califórnia. As notas de campo e as transcrições foram analisadas usando uma abordagem indutiva para identificar temas abrangentes presentes em todos os centros estudados. Resultados: Temas de destaque entre as diferentes clínicas sugerem que: 1) layouts físicos bem projetados, que promovem padrões sustentados de comunicação e colaboração estruturada e espontânea, são fundamentais para a criação de equipes de alto desempenho, 2) a implementação do cuidado baseado na equipe depende de um relaxamento das hierarquias clínicas tradicionais em prol da formação de uma estrutura organizacional ágil que empodere todo o pessoal clínico – principalmente os medical assistants (assistentes clínicos, um tipo de profissional da saúde auxiliar existente nos EUA e no Reino Unido) –, facilitando um espírito de tomada de decisão colaborativa, interdependência e responsabilidade compartilhada e 3) a escassez de recursos para o recrutamento e a retenção de pessoal qualificado é a principal barreira à implementação. Conclusões: O cuidado baseado na equipe tem o potencial de melhorar os resultados do cuidado, fortalecer as relações e o bem-estar dos profissionais clínicos e ampliar as funções dos profissionais para facilitar a realização coletiva das metas de trabalho. Para que a formação e a sustentação das equipes de saúde nas safety nets sejam bem-sucedidas, parece ser necessário um maior compromisso com a criação de espaços bem projetados e uma reformulação do treinamento e da remuneração dos medical assistants para refletir o valioso papel que estes profissionais podem desempenhar. 
 

Resumo Original:

Background: Team-based care is an innovative approach to primary care in which groups of health care professionals work collaboratively to manage care for groups of patients. Safety-net organizations face specific barriers to implementing health care innovations. More research is needed that documents the dynamics that inform implementation and sustainment of innovative practices in the safety net. Methods: We conducted qualitative fieldwork, including purposeful observation and semi-structured and informal interviews, to explore the implementation of care teams in safety-net clinics in California. Field notes and transcripts were analyzed using an inductive approach to identify overarching themes across sites. Results: Salient themes across clinics suggest that 1) well-designed physical layouts that promote sustained patterns of structured and spontaneous communication and collaboration are critical to creating high-functioning teams; 2) implementation of team-based care relies on a relaxing of the traditional clinic hierarchy into an agile organizational structure that empowers all clinic staff—most notably medical assistants—by facilitating an ethos of collaborative decision-making, interdependence, and shared responsibility; and 3) resource constraints related to recruitment and retention of qualified staff are key barriers to implementation. Conclusions: Team-based care has the potential to improve patient outcomes, strengthen relationships and well-being among clinic staff, and expand staff roles to facilitate collective accomplishment of work goals. To successfully launch and sustain care teams in safety-net clinics, greater commitments to creating well-designed spaces and a re-envisioning of the training and compensation for medical assistants that reflects the valuable role these individuals can play appear to be necessary. 

Fonte:
; 18(6): 2213-0764; 2018. DOI: 10.1016/j.hjdsi.2018.09.004.