Redução da carga do dano cirúrgico: uma revisão sistemática das intervenções utilizadas para reduzir os eventos adversos em cirurgias.

HOWELL, A. M. ; PANESAR, S. S. ; BURNS, E. M. ; DONALDSON, L. J. ; DARZI, A.
Título original:
Reducing the burden of surgical harm: a systematic review of the interventions used to reduce adverse events in surgery.
Resumo:

Objetivo: Realizar uma revisão sistemática das intervenções utilizadas para reduzir a ocorrência de eventos adversos em cirurgias.

Contexto: Muitos hospitais têm adotado intervenções para melhorar a segurança do paciente na cirurgia. Sabe-se pouco sobre quais métodos proporcionam reduções mensuráveis da morbidade e da mortalidade.

Métodos: Pesquisamos as bases de dados MEDLINE, EMBASE e Cochrane desde seu início até a semana 19 de 2012 em busca de revisões sistemáticas, estudos controlados e randomizados (ECRs), estudos transversais e estudos de coorte que descrevessem intervenções destinadas a reduzir a incidência de eventos adversos em pacientes cirúrgicos. A qualidade dos estudos observacionais foi medida com a Escala de Newcastle-Ottawa. Os ECRs foram avaliados com a ferramenta da Cochrane Collaboration para a avaliação do risco de viés.

Resultados: No total, 91 estudos cumpriram os critérios de inclusão. Dentre estes, 26 eram relativos a intervenções estruturais e 66 descreveram fatores destinados a modificar os processos. Somente 17 (dentre 42 estudos com qualidade moderada a alta) descreveram intervenções que geraram reduções significativas da morbidade e da mortalidade. As intervenções estruturais foram: melhorar a razão enfermeiros/pacientes (P = 0,008) e o envolvimento de médicos de unidades de terapia intensiva (UTIs) no cuidado pós-operatório (P < 0,05). A subespecialização em cirurgia reduziu a ocorrência de complicações técnicas (P < 0,01). As intervenções efetivas nos processos foram: o envio de dados sobre os resultados do cuidado a auditorias nacionais (P < 0,05), o uso de listas de verificação de segurança cirúrgica (P < 0,05) e a adesão a um itinerário clínico (P < 0.05). Algumas tecnologias de segurança reduziram significativamente a ocorrência de danos (P = 0,02) e o treinamento da equipe teve um efeito positivo sobre os resultados do cuidado (P = 0.001).

Conclusões: Somente um pequeno conjunto de intervenções com qualidade moderada a alta reduziu significativamente a ocorrência de danos cirúrgicos e pode ser implementado de forma viável. É importante que pesquisa futura mantenha o foco em demonstrar a redução mensurável de eventos adversos provenientes de iniciativas de segurança do paciente.

Resumo Original:

Objective: To perform a systematic review of interventions used to reduce adverse events in surgery.Background: Many interventions, which aim to improve patient safety in surgery, have been introduced to hospitals. Little is known about which methods provide a measurable decrease in morbidity and mortality.

Methods: MEDLINE, EMBASE, and Cochrane databases were searched from inception to Week 19, 2012, for systematic reviews, randomized controlled trials (RCTs), and cross-sectional and cohort studies, which reported an intervention aimed toward reducing the incidence of adverse events in surgical patients. The quality of observational studies was measured using the Newcastle-Ottawa Scale. RCTs were assessed using the Cochrane Collaboration's tool for assessing risk of bias.

Results: Ninety-one studies met inclusion criteria, 26 relating to structural interventions, 66 described modifying process factors. Only 17 (of 42 medium to high quality studies) reported an intervention that produced a significant decrease in morbidity and mortality. Structural interventions were: improving nurse to patient ratios (P = 0.008) and Intensive Care Unit (ITU) physician involvement in postoperative care (P < 0.05). Subspecialization in surgery reduced technical complications (P < 0.01). Effective process interventions were submission of outcome data to national audit (P < 0.05), use of safety checklists (P < 0.05), and adherence to a care pathway (P < 0.05). Certain safety technology significantly reduced harm (P = 0.02), and team training had a positive effect on patient outcome (P = 0.001).

Conclusions: Only a small cohort of medium- to high-quality interventions effectively reduce surgical harm and are feasible to implement. It is important that future research remains focused on demonstrating a measurable reduction in adverse events from patient safety initiatives.

Fonte:
Ann Surg ; 259(4): 630-641; 2014. DOI: 10.1097/SLA.0000000000000371.