Reações adversas à automedicação: um estudo em uma base de dados de farmacovigilância

BERRENI, A. ; MONTASTRUC, F. ; BONDON-GUITTON, E. ; ROUSSEAU, V. ; ABADIE, D. ; DURRIEU, G. ; CHEBANE, L.
Título original:
Adverse drug reactions to self-medication: a study in a pharmacovigilance database
Resumo:

Embora a automedicação esteja amplamente desenvolvida, há poucos dados detalhados sobre sua associação com reações adversas a medicamentos (RAMs). Este estudo investigou as principais características de RAMs associadas à automedicação registradas na base de dados Midi-Pyrénées PharmacoVigilance entre 2008 e 2014. A automedicação incluiu, em primeiro lugar, medicamentos vendidos sem prescrição médica e, em segundo, medicamentos que antigamente precisavam de prescrição médica e que depois passaram a ser vendidos sem prescrição (reutilização de medicamentos anteriormente vendidos sob prescrição médica). Das 12.365 notificações registradas, 160 (1,3%) estiveram relacionadas com a automedicação, envolvendo 186 fármacos. Aproximadamente três quartos das RAMs foram “graves”. A idade média dos pacientes foi de 48,8 anos, e 56,3% eram mulheres. As RAMs mais frequentes foram gastrointestinais e neuropsiquiátricas, e as principais classes de medicamentos foram AINEs, analgésicos e benzodiazepínicos. A fitoterapia-homeopatia representou 9,1% dos medicamentos.

Resumo Original:

Although self-medication is widely developed, there are few detailed data about its adverse drug reactions (ADRs). This study investigated the main characteristics of ADRs with self-medication recorded in the Midi-Pyrénées PharmacoVigilance between 2008 and 2014. Self-medication included first OTC drugs and second formerly prescribed drugs later used without medical advice (reuse of previously prescribed drugs). Among the 12 365 notifications recorded, 160 (1.3%) were related to SM with 186 drugs. Around three-forth of the ADRs were 'serious'. Mean age was 48.8 years with 56.3% females. The most frequent ADRs were gastrointestinal and neuropsychiatric and main drug classes involved NSAIDs, analgesics, and benzodiazepines. Phytotherapy-homeopathy accounted for 9.1% of drugs.

Fonte:
Fundam Clin Pharmacol ; 29(5): 517-520; 2015. DOI: 10.1111/fcp.12140.