Problemas com a tecnologia da informação em saúde e seus efeitos sobre a prestação e os resultados do cuidado: uma revisão sistemática

KIM, M. O. ; COIERA, E. ; MAGRABI, F.
Título original:
Problems with health information technology and their effects on care delivery and patient outcomes: a systematic review
Resumo:

Objetivo: Fazer uma revisão sistemática de estudos que descrevam problemas com a tecnologia da informação (TI) em saúde e seus efeitos sobre a prestação e os resultados do cuidado.

Materiais e métodos: Pesquisamos as bases de dados bibliográficos Scopus, PubMed e Science Citation Index Expanded de janeiro de 2004 a dezembro de 2015 em busca de estudos que descrevessem problemas com a TI e seus efeitos. Utilizamos um referencial chamado cadeia de valor da informação (information value chain), que conecta o uso da tecnologia ao resultado final, para avaliar de que forma os problemas da TI afetam a interação com os usuários, o recebimento de informações, a tomada de decisões e os processos e resultados do cuidado. A revisão foi realizada de acordo com a declaração PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Review and Meta-Analysis).

Resultados: Dos 34 estudos identificados, a maioria (n=14, 41%) consistiu em análises de incidentes relatados em seis países. Houve sete estudos descritivos, nove estudos etnográficos e quatro relatos de casos. Os tipos de problemas de TI foram semelhantes aos que haviam sido descritos em classificações anteriores de problemas de segurança associados à TI em saúde. A frequência, a escala e a gravidade dos problemas de TI não foram adequadamente detectadas nesses estudos. Erros na utilização e interfaces de usuário ruins interferiram com o recebimento de informações e levaram a erros de comissão durante a tomada de decisões. Os erros clínicos envolvendo medicamentos foram bem caracterizados. Problemas com a funcionalidade dos sistemas, incluindo interfaces de usuário ruins e telas fragmentadas, atrasaram a prestação do cuidado. Problemas com o acesso aos sistemas, a configuração dos sistemas e as atualizações de software também atrasaram o cuidado. Em 18 estudos (53%), os problemas de TI estiveram ligados a danos e à morte de pacientes. Ao todo, dez estudos (29%) relataram near misses.

Discussão e conclusão: As evidências de estudos que descrevem problemas com a TI em saúde continuam sendo em grande parte qualitativas, e ainda restam muitas oportunidades para estudar e quantificar sistematicamente seus riscos e benefícios em relação à segurança do paciente. A cadeia de valor da informação, quando usada em conjunto com classificações existentes para problemas de segurança da TI em saúde, pode melhorar a medição e deverá facilitar a identificação dos riscos mais significativos para a segurança do paciente.

Resumo Original:

Objetive: To systematically review studies reporting problems with information technology (IT) in health care and their effects on care delivery and patient outcomes.

Materials and methods: We searched bibliographic databases including Scopus, PubMed, and Science Citation Index Expanded from January 2004 to December 2015 for studies reporting problems with IT and their effects. A framework called the information value chain, which connects technology use to final outcome, was used to assess how IT problems affect user interaction, information receipt, decision-making, care processes, and patient outcomes. The review was conducted in accordance with the Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA) statement.

Results: Of the 34 studies identified, the majority (n = 14, 41%) were analyses of incidents reported from 6 countries. There were 7 descriptive studies, 9 ethnographic studies, and 4 case reports. The types of IT problems were similar to those described in earlier classifications of safety problems associated with health IT. The frequency, scale, and severity of IT problems were not adequately captured within these studies. Use errors and poor user interfaces interfered with the receipt of information and led to errors of commission when making decisions. Clinical errors involving medications were well characterized. Issues with system functionality, including poor user interfaces and fragmented displays, delayed care delivery. Issues with system access, system configuration, and software updates also delayed care. In 18 studies (53%), IT problems were linked to patient harm and death. Near-miss events were reported in 10 studies (29%).

Discussion and conclusion: The research evidence describing problems with health IT remains largely qualitative, and many opportunities remain to systematically study and quantify risks and benefits with regard to patient safety. The information value chain, when used in conjunction with existing classifications for health IT safety problems, can enhance measurement and should facilitate identification of the most significant risks to patient safety.

Fonte:
Int J Med Inform ; 24(2): 246-250; 2017. DOI: 10.1093/jamia/ocw154.