Prevenção de danos na UTI-Criação de uma cultura de segurança e envolvimento de pacientes e suas famílias

THORNTON, K. C. ; SCHWARZ, J. J. ; GROSS, A. K. ; ANDERSON, W. G. ; LIU, K. D. ; ROMIG, M. C. ; SCHELL-CHAPLE, H.
Título original:
Preventing Harm in the ICU-Building a Culture of Safety and Engaging Patients and Families
Resumo:

Objetivo: A prevenção de danos continua a ser um desafio persistente em UTIs, apesar da existência de práticas baseadas em evidências que sabidamente reduzem a prevalência de eventos adversos. Esta revisão procurou descrever o papel crucial da cultura de segurança e do envolvimento dos pacientes e suas famílias em iniciativas bem-sucedidas de melhoria da qualidade em UTIs. Revisamos as evidências que corroboram o impacto da cultura de segurança e apresentamos orientações práticas para quem queira implementar iniciativas destinadas a melhorar a cultura de segurança e integrar de forma mais eficaz os pacientes e suas famílias nesses esforços.

Fontes de dados: Revisão da literatura utilizando o PubMed, incluindo a avaliação de estudos-chave que examinaram iniciativas de melhoria da qualidade em grande escala em UTIs, o impacto da cultura de segurança sobre os resultados do cuidado, metodologias para a melhoria da qualidade utilizadas com frequência no cuidado de saúde e o envolvimento de pacientes e suas famílias. Também pesquisamos recursos impressos e on-line das principais organizações de segurança do paciente.

Seleção de estudos: Realizamos uma revisão de estudos originais, artigos de revisão, capítulos de livros e recomendações das principais organizações de segurança do paciente.

Extração de dados: O nosso grupo determinou, por consenso, os recursos que seriam as melhores fontes de informações para esta revisão.

Síntese dos dados: Uma forte cultura de segurança está associada a uma menor ocorrência de eventos adversos, menores taxas de mortalidade e custos. As iniciativas de melhoria da qualidade demonstraram ser mais eficazes e sustentáveis quando combinadas a uma forte cultura de segurança. Existem diferentes metodologias para a melhoria da qualidade em UTIs. Para que sejam bem-sucedidas, é fundamental utilizar uma abordagem cuidadosa para a implementação que envolva os prestadores da linha de frente do cuidado e as lideranças administrativas. Os esforços para envolver de forma substancial os pacientes e suas famílias nos processos de melhoria da qualidade na UTI devem ser expandidos.

Conclusões: Os esforços para estabelecer uma cultura de segurança e envolver de forma significativa os pacientes e suas famílias devem constituir a base para todas as intervenções de segurança em UTIs. Esta revisão descreve uma abordagem que integra componentes de várias metodologias comprovadas de melhoria da qualidade para promover a cultura de segurança em UTIs e destaca oportunidades para incluir os pacientes e suas famílias.

Resumo Original:

Objective: Preventing harm remains a persistent challenge in the ICU despite evidence-based practices known to reduce the prevalence of adverse events. This review seeks to describe the critical role of safety culture and patient and family engagement in successful quality improvement initiatives in the ICU. We review the evidence supporting the impact of safety culture and provide practical guidance for those wishing to implement initiatives aimed at improving safety culture and more effectively integrate patients and families in such efforts.

Data Sources: Literature review using PubMed including evaluation of key studies assessing large-scale quality improvement efforts in the ICU, impact of safety culture on patient outcomes, methodologies for quality improvement commonly used in healthcare, and patient and family engagement. Print and web-based resources from leading patient safety organizations were also searched.

Study Selection: Our group completed a review of original studies, review articles, book chapters, and recommendations from leading patient safety organizations.

Data Extraction: Our group determined by consensus which resources would best inform this review.

Data Synthesis: A strong safety culture is associated with reduced adverse events, lower mortality rates, and lower costs. Quality improvement efforts have been shown to be more effective and sustainable when paired with a strong safety culture. Different methodologies exist for quality improvement in the ICU; a thoughtful approach to implementation that engages frontline providers and administrative leadership is essential for success. Efforts to substantively include patients and families in the processes of quality improvement work in the ICU should be expanded.

Conclusions: Efforts to establish a culture of safety and meaningfully engage patients and families should form the foundation for all safety interventions in the ICU. This review describes an approach that integrates components of several proven quality improvement methodologies to enhance safety culture in the ICU and highlights opportunities to include patients and families.

Fonte:
Crit Care Med ; 2017. DOI: 10.1097/CCM.0000000000002556.
Nota Geral:

Online First

Autor institucional: 
Project Emerge Collaborators