Percepções de funcionários da linha de frente de hospitais de cuidado de pacientes agudos sobre o clima segurança do paciente (CSP)

ZAHEER, S. ; GINSBURG, L. ; CHUANG, Y. T. ; GRACE, S. L.
Título original:
Patient safety climate (PSC) perceptions of frontline staff in acute care hospitals
Resumo:

Contexto: A maior conscientização sobre a importância das questões ligadas à segurança do paciente tem levado à proliferação de teorizações, referenciais conceituais e artigos que aplicam as experiências das indústrias de alta confiabilidade aos ambientes médicos. No entanto, a pesquisa empírica sobre a segurança do paciente e o clima de segurança em ambientes médicos ainda está muito atrás da literatura teórica sobre estes temas.

Objetivo: A literatura organizacional mais ampla sugere que a facilidade de notificação, as normas das unidades sobre a abertura e a liderança participativa podem ser variáveis importantes para melhorar a segurança do paciente. O objetivo deste estudo empírico é examinar em detalhes como essas três variáveis influenciam as percepções dos profissionais da linha de frente do cuidado sobre o clima de segurança do paciente dentro das organizações de saúde.

Metodologia: Realizamos um estudo transversal. Os dados foram coletados através de um questionário composto por escalas previamente validadas.

Resultados: Os resultados do estudo mostram que a facilidade de notificação, as normas das unidades sobre a abertura e a liderança participativa estão relacionadas positivamente às percepções dos profissionais sobre o clima de segurança do paciente.

Implicações para a prática: Os gestores do cuidado de saúde devem envolver os profissionais da linha de frente durante as fases de desenvolvimento e implementação dos sistemas de notificação de erros para assegurar que os profissionais considerem que a notificação ocorra de forma fácil e eficiente. A alta direção e supervisores das organizações de saúde devem ter oportunidades de aprendizagem para melhorar suas competências de liderança participativa, a fim de integrar melhor as ideias e preocupações dos profissionais da linha de frente do cuidado no momento de tomarem decisões relacionadas à segurança. Por fim, os gestores do cuidado de saúde devem assegurar que os profissionais da linha de frente sejam capazes de comunicar livremente suas preocupações de segurança sem medo de serem punidos ou ridicularizados.

Resumo Original:

Background: Increased awareness regarding the importance of patient safety issues has led to the proliferation of theoretical conceptualizations, frameworks, and articles that apply safety experiences from high-reliability industries to medical settings. However, empirical research on patient safety and patient safety climate in medical settings still lags far behind the theoretical literature on these topics.

Purpose: The broader organizational literature suggests that ease of reporting, unit norms of openness, and participative leadership might be important variables for improving patient safety. The aim of this empirical study is to examine in detail how these three variables influence frontline staff perceptions of patient safety climate within health care organizations.

Methodology: A cross-sectional study design was used. Data were collected using a questionnaire composed of previously validated scales.

Findings: The results of the study show that ease of reporting, unit norms of openness, and participative leadership are positively related to staff perceptions of patient safety climate.

Practice Implications: Health care management needs to involve frontline staff during the development and implementation stages of an error reporting system to ensure staff perceive error reporting to be easy and efficient. Senior and supervisory leaders at health care organizations must be provided with learning opportunities to improve their participative leadership skills so they can better integrate frontline staff ideas and concerns while making safety-related decisions. Finally, health care management must ensure that frontline staff are able to freely communicate safety concerns without fear of being punished or ridiculed by others.

Fonte:
Health Care Manage Rev ; 40(1): 13-23; 2015. DOI: 10.1097/HMR.0000000000000005.
DECS:
cuidados críticos, estudos transversais, administração hospitalar, hospitais especializados, liderança, erros médicos, recursos humanos em hospital, segurança do paciente, gestão de riscos