Pare! Verifique suas suposições iniciais: "conduta clínica congelada" na prática obstétrica

Kobo-Greenhut, ; Ayala MSc ; Sakas ; Jawad MD ; Magnezi ; Racheli PhD ; Ben Shlomo
Título original:
Stop! Check your initial assumptions: Frozen patient management in obstetrical practice B Medicine (United States)
Resumo:

Às vezes, pode ser necessário saltar de uma conduta clínica para outra a fim de mitigar erros no cuidado de saúde. A "conduta clínica congelada" é a situação na qual, diante de uma diferença evidente entre os fenômenos esperados e os que são efetivamente observados, a passagem da conduta atual para uma conduta alternativa não é considerada ou executada. A conduta clínica congelada pode levar a um atraso significativo na execução da intervenção definitiva adequada, seja ela cirúrgica ou farmacológica. Tal atraso é ainda mais importante em situações dinâmicas nas quais o tempo é um fator crucial. Em uma maternidade, isso pode custar a vida do feto ou da mãe. Neste estudo, descrevemos uma sequência na qual a conduta clínica congelada foi observada numa sala de parto. O uso de um "protocolo de pensamento" (chamado aqui de "questionário de descongelamento") fez com que a equipe parasse e considerasse uma mudança de conduta quando a inadequação se tornou aparente, o que salvou a vida da mãe. Acreditamos que a adoção do "questionário de descongelamento" como um anexo de rotina para todas as atividades clínicas permitiria modificar as linhas de tratamento em tempo hábil, o que, por sua vez, salvaria vidas e evitaria o sofrimento desnecessário.

Resumo Original:

At times, leaping from one patient management routine to an alternative one may be required to mitigate medical errors. "Frozen patient management" is the resultant situation, when, in the face of an obvious gap between the expected and the actual phenomena, leaping from current patient management to an alternative one is not considered or done. Frozen patient management can lead to a significant delay of the correct definitive intervention, be it surgical or pharmacological. The significance of this delay is especially important in time-dependent dynamic situations. In delivery ward, this may cost the life of either the fetus or the mother.In this study, we describe a sequence in which frozen patient management occurred in the delivery ward. Using "thinking protocol" (herein termed "de-freezing" questionnaire) made the team stop and consider a leap when gaps became apparent, and saved the mother's life.We believe that adopting the "de-freezing questionnaire" as a routine adjunct for all medical activities would lead to a timely change of treatment line, which, in turn, will save lives and unnecessary suffer.

Fonte:
; 96(50): 9280; 2018. DOI: 10.1097/MD.0000000000009280.