Organização baseada em evidências e estratégias de segurança do paciente em hospitais europeus

SUNOL, R. ; WAGNER, C. ; ARAH, O. A. ; SHAW, C. D. ; KRISTENSEN, S. ; THOMPSON, C. A. ; DERSARKISSIAN, M.
Título original:
Evidence-based organization and patient safety strategies in European hospitals
Resumo:

Objetivo: Investigar como certos hospitais europeus implementaram recomendações sobre estratégias de segurança do paciente (ESP) e sobre a organização de itinerários clínicos baseada em evidências (OIBE) e examinar a variação nos processos de implementação entre os diferentes países e hospitais.

Desenho: Estudo transversal em múltiplos níveis e de métodos mistos realizado em sete países como parte do projeto Deepening our Understanding of Quality Improvement in Europe (DUQuE), financiado pela União Europeia.

Ambiente e Participantes: Participaram do estudo 74 hospitais de cuidado agudo com 292 setores hospitalares que tratam  as seguintes condições clínicas: infarto agudo do miocárdio (IAM), fratura de quadril, acidente vascular encefálico (AVE) e parto.

Principais Medidas de Desfecho: Cinco medidas compostas por múltiplos itens, das quais uma era uma medida genérica para ESP e quatro eram medidas da OIBE específicas para cada itinerário.

Resultados: O cloreto de potássio só havia sido removido dos estoques gerais de medicamentos de 9,4 a 30,5% das enfermarias nos diferentes itinerários, e os pacientes estavam adequadamente identificados com pulseiras em 43,0 a 59,7%. Embora 86,3% das áreas que trataram pacientes com IAM tivessem acesso imediato a um médico especialista, somente 56,0% tinham a capacidade de oferecer trombólise em até 30 minutos após a chegada do paciente ao hospital. Uma parte considerável da variação total observada deveu-se a diferenças entre hospitais de um mesmo país para as ESP (65,9%). No caso da OIBE, as diferenças entre países também foram importantes (10,1% para IAM e 57,1% para fratura de quadril).

Conclusões: Existem disparidades consideráveis entre as evidências e a prática para as ESP e a OIBE numa amostra de hospitais europeus. As variações devido a diferenças entre países são mais importantes no caso da OIBE em comparação a ESP, mas são menos importantes do que as variações existentes no interior de um mesmo país. As agências que apoiam a implementação de ESP e da OIBE devem reexaminar cuidadosamente a efetividade de suas estratégias atuais.

Palavras-Chave: cuidado de saúde apropriado; efetividade; cuidado hospitalar; segurança do paciente; variações na prática; melhoria da qualidade; gestão da qualidade

Resumo Original:

Objective: To explore how European hospitals have implemented patient safety strategies (PSS) and evidence-based organization of care pathway (EBOP) recommendations and examine the extent to which implementation varies between countries and hospitals.

Design: Mixed-method multilevel cross-sectional design in seven countries as part of the European Union-funded project 'Deepening our Understanding of Quality improvement in Europe' (DUQuE).

Setting and Participants: Seventy-four acute care hospitals with 292 departments managing acute myocardial infarction (AMI), hip fracture, stroke, and obstetric deliveries. Main outcome measure Five multi-item composite measures-one generic measure for PSS and four pathway-specific measures for EBOP.

Results: Potassium chloride had only been removed from general medication stocks in 9.4-30.5% of different pathways wards and patients were adequately identified with wristband in 43.0-59.7%. Although 86.3% of areas treating AMI patients had immediate access to a specialist physician, only 56.0% had arrangements for patients to receive thrombolysis within 30 min of arrival at the hospital. A substantial amount of the total variance observed was due to between-hospital differences in the same country for PSS (65.9%). In EBOP, between-country differences play also an important role (10.1% in AMI to 57.1% in hip fracture).

Conclusions: There were substantial gaps between evidence and practice of PSS and EBOP in a sample of European hospitals and variations due to country differences are more important in EBOP than in PSS, but less important than within-country variations. Agencies supporting the implementation of PSS and EBOP should closely re-examine the effectiveness of their current strategies.

Keywords: appropriate healthcare; effectiveness; hospital care; patient safety; practice variations; quality improvement; quality management

Fonte:
Int J Qual Health Care ; 26(suppl 1): 47-55; 2014. DOI: 10.1093/intqhc/mzu016.
DECS:
análise de variáncia, prática clínica baseada em evidências, fidelidade a diretrizes, hospitais, avaliação de resultados, melhoria de qualidade, segurança do paciente, gestão da segurança
Autor institucional: 
DUQuE Project Consortium