Obstáculos e fatores facilitadores relacionados à implementação de listas de verificação cirúrgicas: uma revisão sistemática de evidências qualitativas

BERGS, J. ; LAMBRECHTS, F. ; SIMONS, P. ; VLAYEN, A. ; MARNEFFE, W. ; HELLINGS, J. ; CLEEMPUT, I.
Título original:
Barriers and facilitators related to the implementation of surgical safety checklists: a systematic review of the qualitative evidence
Resumo:

Objetivo: O objetivo desta revisão é compreender melhor os obstáculos e fatores facilitadores, relacionados aos usuários, que afetam a implementação de listas de verificação para a segurança cirúrgica.

Métodos: Realizamos uma pesquisa na base de dados MEDLINE em busca de artigos que descrevessem as perspectivas e experiências de diferentes grupos de interesse com a implementação de listas de verificação para a segurança cirúrgica. A qualidade dos artigos foi avaliada por meio do Instrumento de Avaliação Qualitativa e Revisão [Qualitative Assessment and Review Instrument]. Fizemos uma síntese temática para integrar os temas descritivos emergentes aos temas analíticos gerais. 

Resultados: A síntese de 18 estudos qualitativos indicou que a implementação requer mudanças no fluxo de trabalho dos profissionais de saúde e nas percepções destes sobre a lista de verificação e sobre a segurança do paciente em geral. Os fatores que impedem ou promovem as mudanças necessárias estiveram ligados principalmente à lista de verificação, ao processo de implementação e ao contexto local. Observamos que as verificações de segurança necessárias perturbam a rotina dos profissionais do centro cirúrgico. Além disso, a existência de prioridades conflitantes e de diferentes perspectivas e motivações entre os grupos de interesse complica a implementação das listas de verificação. Quando a lista de verificação é tratada como uma mera intervenção técnica, a expectativa de cooperação entre cirurgiões, anestesistas e enfermeiros muitas vezes não se concretiza, o que faz com que a lista de verificação seja reduzida a um exercício de marcação. 

Conclusões: A realidade complexa na qual a lista de verificação precisa ser implementada requer uma abordagem que não se limite à eliminação dos obstáculos e à promoção dos fatores facilitadores. Os profissionais que lideram sua implementação devem facilitar a aprendizagem em equipe para promover a compreensão mútua das diferentes perspectivas e motivações e o realinhamento das rotinas de trabalho. Este artigo apresenta uma visão pragmática dos obstáculos e fatores facilitadores relacionados ao usuário, a partir da qual será possível desenvolver teorias, estratégias de mudanças e interações e testá-las empiricamente.

Resumo Original:

Objective: The objective of this review is to obtain a better understanding of the user-related barriers against, and facilitators for, the implementation of surgical safety checklists.

Methods: We searched MEDLINE for articles describing stakeholders’ perspectives regarding, and experiences with, the implementation of surgical safety checklists. The quality of the papers was assessed by means of the Qualitative Assessment and Review Instrument. Thematic synthesis was used to integrate the emergent descriptive themes into overall analytical themes.

Results: The synthesis of 18 qualitative studies indicated that implementation requires change in the workflow of healthcare professionals as well as in their perception of the checklist and the perception of patient safety in general. The factors impeding or advancing the required change concentrated around the checklist, the implementation process and the local context. We found that the required safety checks disrupt operating theatre staffs’ routines. Furthermore, conflicting priorities and different perspectives and motives of stakeholders complicate checklist implementation. When approaching the checklist as a simple technical intervention, the expectation of cooperation between surgeons, anaesthetists and nurses is often not addressed, reducing the checklist to a tick-off exercise.

Conclusions: The complex reality in which the checklist needs to be implemented requires an approach that includes more than eliminating barriers and supporting facilitating factors. Implementation leaders must facilitate team learning to foster the mutual understanding of perspectives and motivations, and the realignment of routines. This paper provides a pragmatic overview of the user-related barriers and facilitators upon which theories, hypothesising potential change strategies and interactions, can be developed and tested empirically.

Fonte:
BMJ Qual Saf ; 24(12): 776-786; 2015. DOI: 10.1136/bmjqs-2015-004021.