O volume cirúrgico ainda é o indicador mais preciso do uso de sangue nos Estados Unidos?

Savinkina A ; Sapiano MRP ; Berger J ; Basavaraju SV
Título original:
Is surgical volume still the most accurate indicator of blood usage in the United States?
Resumo:

CONTEXTO:
As estimativas sobre a coleta e o uso de sangue nos Estados Unidos derivadas do National Blood Collection and Utilization Survey (NBCUS) requerem a aplicação de métodos estatísticos robustos na análise dos dados do inquérito. Desde 1993, o volume anual de pacientes cirúrgicos internados tem sido usado como a principal variável de estratificação para amostragem e estimativa. No entanto, resultados recentes do NBCUS mostraram uma diminuição no uso de sangue em ambientes cirúrgicos, levantando a possibilidade de que o volume de pacientes cirúrgicos internados já não seja a melhor variável de estratificação. O objetivo deste estudo foi explorar os fatores que afetam a utilização de sangue em hospitais.
DESENHO E MÉTODOS:
Utilizamos a regressão linear generalizada multivariada com distribuição binomial negativa para determinar quais características dos hospitais explicam melhor o uso de hemácias alogênicas, usando dados do NBCUS de 2015 para determinar o uso de sangue em hospitais e da base de dados anual da American Hospital Association de 2013 para identificar as características dos hospitais.
RESULTADOS:
O volume anual de pacientes cirúrgicos internados explicou a maior parte da variação no uso de hemácias alogênicas entre os hospitais (pseudo-R2 de 70,8%). Outras variáveis, como a presença de um serviço de oncologia, também foram estatisticamente significativas nos modelos, mas explicaram pouca variabilidade adicional no uso de sangue.
CONCLUSÃO:
Estes resultados sugerem que o volume anual de pacientes cirúrgicos internados é um indicador adequado para estimar a utilização de sangue nos Estados Unidos. Como as tendências no uso de sangue continuam a evoluir, são necessários esforços analíticos continuados para compreender os indicadores sobre o uso de sangue.

Resumo Original:

Abstract
BACKGROUND:
Estimates of blood collection and use in the United States derived from the National Blood Collection and Utilization Survey (NBCUS) call for application of robust statistical methods in the analysis of survey data. Since 1993, annual inpatient surgical volume has been used as the main stratification variable for sampling and estimation. However, recent NBCUS results have shown a decrease in blooduse in surgical settings, raising the possibility that inpatient surgical volume may no longer be the optimal stratification variable. The objective of this study is to explore factors affecting hospital blood utilization.
STUDY DESIGN AND METHODS:
A multivariate generalized linear regression with a negative binomial distribution was used to determine which hospital characteristics best explained allogeneic red blood cell (RBC) use, using data from the 2015 NBCUS to determine hospital blood use and the 2013 annual American Hospital Association database to identify hospital characteristics.
RESULTS:
Annual inpatient surgical volume explained the most variation in allogeneic RBC use among hospitals (pseudo-R2 of 70.8%). Additional variables, such as presence of an oncology service, were also statistically significant in the models but explained little additional variability in blood use.
CONCLUSION:
These findings suggest that annual inpatient surgical volume is an appropriate indicator for estimating blood utilization in the United States. As trends in blood utilization continue to evolve, ongoing analytic efforts to understand indicators of blood use are necessary.

Fonte:
; 59(3): 1125-1131; 2019. DOI: 10.1111/trf.15189..