O que há de novo na prevenção da pneumonia hospitalar na UTI?

KLOMPAS, M.
Título original:
What is new in the prevention of nosocomial pneumonia in the ICU?
Resumo:

Objetivos da revisão: Resumir e contextualizar evidências recentes sobre a prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM).

Resultados recentes: Muitos centros continuam a relatar reduções drásticas nas taxas de PAVM após a implementação de pacotes de intervenções para ventilação mecânica. No entanto, a interpretação desses relatos é complicada pela subjetividade e pela falta de especificidade nas definições de PAVM. Dados mais objetivos sugerem que as taxas de PAVM podem não ter mudado significativamente na última década. Se isto for verdade, é preciso reexaminar e rever os pacotes de intervenções que têm sido utilizados para prevenir a PAVM. Novas análises sugerem que, na maioria dos hospitais, os pacotes de intervenções para ventilação mecânica incluem uma combinação de elementos benéficos e outros que são potencialmente prejudiciais. Os testes de despertar espontâneo e de respiração espontânea, a elevação da cabeceira do leito e a tromboprofilaxia parecem ser benéficos. O uso de clorexidina oral e a profilaxia para úlceras de estresse podem ser prejudiciais. A drenagem subglótica, os probióticos e novos desenhos de cuffs endotraqueais não melhoram claramente os resultados objetivos. A descontaminação digestiva seletiva, por outro lado, parece reduzir as taxas de PAVM e de mortalidade. A implementação efetiva é tão importante quanto a escolha dos componentes certos a serem incluídos no pacote de intervenções. As melhores práticas incluem o envolvimento e a educação dos profissionais, a criação de estruturas que facilitem a adesão aos pacotes de intervenções e o feedback regular sobre o desempenho nas medidas de processo e nas taxas de resultados.

Síntese: É possível que as taxas de PAVM ainda sejam elevadas, embora muitos relatos afirmem o contrário. Evidências recentes sugerem novas maneiras de otimizar a escolha de componentes dos pacotes de intervenções para ventilação mecânica e sua implementação.

Resumo Original:

Purpose of review: To summarize and contextualize recent evidence on preventing ventilator-associated pneumonia (VAP).

Recent findings: Many centers continue to report dramatic decreases in VAP rates after implementing ventilator bundles. Interpreting these reports is complicated, however, by the subjectivity and lack of specificity of VAP definitions. More objective data suggest VAP rates may not have meaningfully changed over the past decade. If so, this compels us to re-examine and revise the prevention bundles we have been using to prevent VAP. New analyses suggest that most hospitals' ventilator bundles include a mix of helpful and potentially harmful elements. Spontaneous awakening trials, spontaneous breathing trials, head-of-bed elevation, and thromboprophylaxis appear beneficial. Oral chlorhexidine and stress ulcer prophylaxis may be harmful. Subglottic secretion drainage, probiotics, and novel endotracheal cuff designs do not clearly improve objective outcomes. Selective digestive decontamination by contrast appears to lower VAP and mortality rates. Effective implementation is as important as choosing the right bundle components. Best practices include engaging and educating staff, creating structures that facilitate bundle adherence, and providing regular feedback on process measure performance and outcome rates.

Sumarry: VAP rates may still be elevated despite multiple reports to the contrary. Recent evidence suggests new ways to optimize the selection of ventilator bundle components and their implementation.

Fonte:
Curr Opin Crit Care ; 23(5): 378-384; 2017. DOI: 10.1097/MCC.0000000000000443.