Lista de verificação cirúrgica: revisão sistemática dos impactos e da implementação

TREADWELL, J. R. ; LUCAS, S. ; TSOU, A. Y.
Título original:
Surgical checklists: a systematic review of impacts and implementation
Resumo:

Introdução: As complicações cirúrgicas representam uma causa significativa de morbidade e mortalidade, com taxa de complicações graves após cirurgia em regime de internação estimada na faixa de 3 a 17% em países industrializados. O objetivo desta revisão foi resumir a experiência com o uso e a eficácia da lista de verificação cirúrgica na melhoria da segurança do paciente.

Métodos: Foi realizada uma busca em quatro bancos de dados (MEDLINE, CINAHL, EMBASE e o Cochrane Database of Controlled Trial) entre 01 de janeiro de 2000 e 26 de outubro de 2012. Os artigos que descrevem utilização real da lista de verificação de segurança cirúrgica da OMS, do Surgical Patient Safety System (SURPASS), de uma lista de verificação para evitar cirurgia no local errado, ou de uma lista para verificação do equipamento de anestesia, foram considerados elegíveis para inclusão (este texto resume todas as listas de verificação, exceto aquelas relacionadas aos equipamentos de anestesia, que são descritas na publicação da Agency for Healthcare Research and Quality).

Resultados: Analisamos um total de 33 estudos. Relatamos uma série de resultados, incluindo a prevenção de eventos adversos, facilitadores e barreiras à implementação. As listas de verificação têm sido adotadas numa grande variedade de ambientes e representam uma estratégia promissora para a melhoria da cultura da segurança do paciente e do cuidado perioperatório em uma grande variedade de locais. As listas de verificação cirúrgica foram associadas a uma maior detecção de potenciais riscos à segurança, a menos complicações cirúrgicas e a uma melhor comunicação entre os membros da equipe cirúrgica. As estratégias para uma implementação bem-sucedida da lista de verificação requerem o envolvimento de lideranças institucionais, como defensores locais, a incorporação do feedback da equipe para adaptar tal lista e para evitar redundâncias com sistemas existentes para a coleta de informação.

Conclusões: As listas de verificação cirúrgica representam uma estratégia relativamente simples e promissora para tratar da segurança do paciente cirúrgico no mundo inteiro. Mais estudos são necessários para avaliar o quanto as listas de verificação melhoram os resultados clínicos e se as melhorias podem ser mais aferidas em determinados ambientes.

Resumo Original:

Background: Surgical complications represent a significant cause of morbidity and mortality with the rate of major complications after inpatient surgery estimated  at 3-17% in industrialised countries. The purpose of this review was to summarise experience with surgical checklist use and efficacy for improving patient safety.

Methods: A search of four databases (MEDLINE, CINAHL, EMBASE and the Cochrane Database of Controlled Trials) was conducted from 1 January 2000 to 26 October 2012. Articles describing actual use of the WHO checklist, the Surgical Patient Safety System (SURPASS) checklist, a wrong-site surgery checklist or an anaesthesia equipment checklist were eligible for inclusion (this manuscript summarises all but the anaesthesia equipment checklists, which are described in the Agency for Healthcare Research and Quality publication).

Results: We included a total of 33 studies. We report a variety of outcomes including avoidance of adverse events, facilitators and barriers to implementation. Checklists have been adopted in a wide variety of settings and represent a promising strategy for improving the culture of patient safety and perioperative care in a wide variety of settings. Surgical checklists were associated with increased detection of potential safety hazards, decreased surgical complications and improved communication among operating staff. Strategies for successful checklist implementation included enlisting institutional leaders as local champions, incorporating staff feedback for checklist adaptation and avoiding redundancies with existing systems for collecting information.

Conclusions: Surgical checklists represent a relatively simple and promising strategy for addressing surgical patient safety worldwide. Further studies are needed to evaluate to what degree checklists improve clinical outcomes and whether improvements may be more pronounced in particular settings.

Fonte:
BMJ Qual Saf ; 2013. DOI: 10.1136/bmjqs-2012-001797.