Intervenções para prevenir quedas em hospitais de pacientes agudos e crônicos: uma revisão sistemática e meta-análise

COUSSEMENT, J. ; DE PAEPE, L. ; SCHWENDIMANN, R. ; DENHAERYNCK, K. ; DEJAEGER, E. ; MILISEN, K.
Título original:
Interventions for preventing falls in acute- and chronic-care hospitals: a systematic review and meta-analysis
Resumo:

Objetivo: Determinar as características e a efetividade de programas de prevenção de quedas em hospitais.

Desenho: Busca sistemática da literatura em múltiplas bases de dados (Medline, Cinahl, Precinahl, Cochrane Library) e na lista de referências bibliográficas de cada publicação identificada.

Escopo: Inclusão de estudos com desenho prospectivo controlado com dados sobre a efetividade de programas de prevenção de quedas em hospitais.

Participantes: Dois revisores.

Medidas: A qualidade metodológica dos estudos foi avaliada com base em 10 critérios. Para a meta-análise foram calculados o risco relativo de queda por paciente-dia (RRfall) e o risco relativo de um paciente sofrer uma queda (RRfaller).

Resultados: Oito estudos atenderam aos critérios de inclusão, dos quais quatro testaram intervenções multifatoriais. Embora esses estudos tenham sido desenvolvidos em hospitais, a maioria foi conduzida em unidades de longa permanência (tempo médio de permanência 41,5 anos) e de reabilitação (tempo médio de permanência de 36,9 dias). Para a análise do número de quedas, um estudo que utilizou apenas uma estratégia de intervenção (unifatorial) e dois que usaram diversas intervenções (multifatorial) mostraram redução significativa de 30,0% a 49,0% no grupo de intervenção, com o maior efeito obtido no estudo unifatorial que avaliou uma intervenção farmacológica. Para os quatro estudos multifatoriais, a associação do RRfall não foi estatisticamente significante após o ajuste para clustering (RRfall = 0,82, intervalo de confiança 95% (IC95%) = 0,65-1,03). Nenhum estudo relatou uma redução significativa de uma intervenção individual ou agrupada, no número de pacientes com quedas no grupo de intervenção (RRfall associado = 0,87, IC95% = 0,70-1,08).

Conclusão: Essa meta-análise não encontrou evidência conclusiva de que programas de prevenção de quedas em hospitais podem reduzir o número de quedas ou de pacientes com quedas. Mais estudos são necessários para confirmar a tendência observada na análise de estudos individuais, de que intervenções focadas nos fatores de risco de queda mais importantes de fato contribuem para reduzir do número de quedas. Essas intervenções parecem ser úteis apenas em unidades assistenciais de longa permanência.

Resumo Original:

Objectives: To determine the characteristics and the effectiveness of hospital fall prevention programs.

Design: Systematic literature search of multiple databases (Medline, Cinahl, Precinahl, Invert, the Cochrane Library) and of the reference list of each identified publication.

Setting: Inclusion of prospective controlled-design studies reporting the effectiveness of fall prevention programs in hospitals.

Participantes: Two reviewers.

Measurements: The methodological qualities of the studies were assessed based on 10 criteria. For the meta-analysis, the relative risk of a fall per occupied bed day (RR(fall)) and the relative risk of being a faller (RR(faller)) were calculated.

Results: Eight studies met the inclusion criteria, of which four studies tested multifactorial interventions. Although these studies took place in hospitals, most were conducted on long-stay (mean length of stay (LOS) >1.5 years) and rehabilitation units (mean LOS 36.9 days). For analysis of the number of falls, one unifactorial and two multifactorial studies showed a significant reduction of 30% to 49% in the intervention group, with the greatest effect obtained in the unifactorial study that assessed a pharmacological intervention. The pooled RR(fall) for the four multifactorial studies became nonsignificant after adjustment for clustering (RR(fall)=0.82, 95% confidence interval (CI)=0.65-1.03). No studies reported a significant reduction, either single or pooled, in the number of fallers in the intervention group (pooled RR(faller)-0.87, 95% CI=0.70-1.08).

Conclusion: This meta-analysis found no conclusive evidence that hospital fall prevention programs can reduce the number of falls or fallers, although more studies are needed to confirm the tendency observed in the analysis of individual studies that targeting a patient's most important risk factors for falls actively helps in reducing the number of falls. These interventions seem to be useful only on long-stay care units.

Fonte:
J Am Geriatr Soc ; 56(1): 29-36; 2008. DOI: 10.1111/j.1532-5415.2007.01508.x.
DECS:
acidentes por quedas, hospitais de doenças cronicas, tempo de internação, avaliação de resultados, avaliação de programas e projetos de saúde