Informando a ocorrência de eventos adversos aos pacientes: normas e tendências internacionais

WU, A. W. ; McCAY, L. ; LEVINSON, W. ; IEDEMA, R. ; WALLACE, G. ; BOYLE, D. J. ; McDONALD, T. B.
Título original:
Disclosing adverse events to patients: international norms and trends
Resumo:

Objetivos: Em todo o mundo, existe cada vez mais a expectativa de que os pacientes sejam plenamente informados da ocorrência de eventos adversos. Porém, as práticas de abertura de informação muitas vezes ficam aquém dessa expectativa.

Métodos: Fizemos uma revisão das tendências nas políticas e práticas de 5 países com ampla experiência de abertura de informação sobre eventos adversos: Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Nova Zelândia e Austrália.

Resultados: Identificamos 5 temas que refletem importantes dificuldades ligadas à abertura de informação: (1) a dificuldade de transformar políticas em práticas em grande escala, (2) o conflito entre a teoria da segurança do paciente e as expectativas dos pacientes, (3) o conflito entre o sigilo profissional para a melhoria da qualidade e a abertura de informação, (4) a dificuldade de compatibilizar a abertura de informação com as indenizações por má prática e (5) a dificuldade em medir a abertura de informação.

Conclusões: Possíveis soluções incluem a educação dos profissionais de saúde associada a incentivos para por em prática as políticas; uma melhor comunicação sobre abordagens que não se limitem aos métodos punitivos; uma legislação que permita a abertura de informação para os pacientes e, ao mesmo tempo, proteja as instituições para fins de melhoria da qualidade; a proteção dos prestadores nos casos em que se desculpam com os pacientes; sistemas abrangentes de abertura de informação que incluam a indenização do paciente; desvinculação da indenização do paciente da investigação regulamentar dos médicos que efetuam a abertura de informação; requisitos legais e contratuais para a abertura de informação e uma melhor medição de sua ocorrência e qualidade. Uma solução de longo prazo envolve a educação do público e dos profissionais de saúde sobre a segurança do paciente.

Resumo Original:

Objectives: There is a growing expectation in health systems around the world that patients will be fully informed when adverse events occur. However, current disclosure practices often fall short of this expectation.

Methods: We reviewed trends in policy and practice in 5 countries with extensive experience with adverse event disclosure: the United States, the United Kingdom, Canada, New Zealand, and Australia.

Results: We identified 5 themes that reflect key challenges to disclosure: (1) the challenge of putting policy into large-scale practice, (2) the conflict between patient safety theory and patient expectations, (3) the conflict between legal privilege for quality improvement and open disclosure, (4) the challenge of aligning open disclosure with liability compensation, and (5) the challenge of measurement related to disclosure.

Conclusions: Potential solutions include health worker education coupled with incentives to embed policy into practice, better communication about approaches beyond the punitive, legislation that allows both disclosure to patients and quality improvement protection for institutions, apology protection for providers, comprehensive disclosure programs that include patient compensation, delinking of patient compensation from regulatory scrutiny of disclosing physicians, legal and contractual requirements for disclosure, and better measurement of its occurrence and quality. A longer-term solution involves educating the public and health care workers about patient safety.

Fonte:
J Patient Saf ; 13(1): 43-49; 2017. DOI: 10.1097/PTS.0000000000000107.