A incidência do erro diagnóstico na medicina

GRABER, M. L.
Título original:
The incidence of diagnostic error in medicine
Resumo:

Uma ampla variedade de trabalhos de pesquisa sugere que rupturas no processo diagnóstico resultam numa quantidade enorme de danos e óbitos de pacientes. Tais rupturas incluem estudos com autópsias, revisões de casos, enquetes com pacientes e médicos, sistemas de notificação voluntária, uso de pacientes padronizados, second reviews, auditorias para exame de diagnósticos e revisões de cobranças encerradas. Embora essas diferentes abordagens forneçam informações importantes e uma compreensão única acerca dos erros diagnósticos, cada qual tem a sua limitação e nenhuma se presta para estabelecer a incidência do erro diagnóstico na prática atual ou a taxa agregada de erro e dano. A capacidade de mensurar a incidência de erro diagnóstico é essencial para possibilitar a realização de estudos sobre o erro diagnóstico e para desenvolver projetos sobre melhoria da qualidade voltados para a redução dos riscos de erro e dano. Três abordagens mostram-se promissoras neste sentido: (1) o uso de “ferramentas de rastreamento” para identificar, a partir de prontuários eletrônicos, os casos com alto risco de erro diagnóstico; (2) o uso de pacientes padronizados (clientes secretos) para estudar a proporção de erro na prática médica; (3) o encorajamento tanto dos pacientes quanto dos médicos a notificar espontaneamente os erros que encontrarem, facilitando este processo.

Palavras-chave: Tomada de decisão; Erros diagnósticos; Erro no cuidado de saúde, medição/epidemiologia; Segurança do paciente

Resumo Original:

A wide variety of research studies suggest that breakdowns in the diagnostic process result in a staggering toll of harm and patient deaths. These include autopsy studies, case reviews, surveys of patient and physicians, voluntary reporting systems, using standardised patients, second reviews, diagnostic testing audits and closed claims reviews. Although these different approaches provide important information and unique insights regardingdiagnostic errors, each has limitations and none is well suited to establishing the incidence of diagnostic error in actual practice, or the aggregate rate of error and harm. We argue that being able to measure the incidence of diagnostic error is essential to enable research studies on diagnostic error, and to initiate quality improvement projects aimed at reducing the risk of error and harm. Three approaches appear most promising in this regard: (1) using 'trigger tools' to identify from electronic health records cases at high risk for diagnostic error; (2) using standardised patients (secret shoppers) to study the rate of error in practice; (3) encouraging both patients and physicians to voluntarily report errors they encounter, and facilitating this process.

Keywords: Decision making; Diagnostic errors; Medical error, measurement/epidemiology; Patient safety

Fonte:
BMJ Qual Saf ; 22(suppl. 2): ii21-ii27; 2013. DOI: 10.1136/bmjqs-2012-001615.
DECS:
autopsia, auditoria clínica, técnicas de laboratorio clínico, erros de diagnostico, imperícia, simulação de paciente, revelação
Nota Geral:

Crédito da imagem: Jefferson de almeida