Impacto dos eventos adversos intraoperatórios sobre as reinternações hospitalares

NANDAN, A. R. ; BOHNEN, J. D. ; CHANG, D. C. ; YEH, D. D. ; LEE, J. ; VELMAHOS, G. C. ; KAAFARANI, H. M.
Título original:
The impact of major intraoperative adverse events on hospital readmissions
Resumo:

Contexto: Recentemente, as taxas de reinternação no hospital como um todo se tornaram um indicador de referência na avaliação da qualidade. O objetivo do estudo foi estudar o impacto independente dos eventos adversos intraoperatórios (EAIs) maiores sobre as taxas de reinternação em 30 dias de pacientes submetidos à cirurgia abdominal.

Métodos: Dados de 2007 a 2012 do Programa de Melhoria da Qualidade Cirúrgica do American College of Surgeons e bases de dados administrativas para cirurgias abdominais foram pareados e rastreados para EAIs usando o Indicador de Segurança do Paciente "punção/laceração acidental", baseado na Classificação Internacional de Doenças, 9ª Revisão. Os prontuários marcados foram revisados para confirmar a presença dos EAIs. Os EAIs maiores foram definidos como de classe 3 ou mais, segundo o nosso Sistema de Classificação de EAIs, validado recentemente. A base de dados de pacientes internados foi investigada em busca de reinternações até 30 dias após a alta. Modelos univariados e multivariados foram construídos para analisar o impacto independente dos EAIs maiores sobre as taxas de reinternação, fazendo o controle para dados demográficos, comorbidades, a classificação ASA (American Society of Anesthesiology) e o tipo/abordagem/complexidade do procedimento (usando unidades de valor relativo como proxy). As razões para a reinternação foram investigadas por meio do Software de Classificação Clínica da Agency for Healthcare Research and Quality, baseado na Classificação Internacional de Doenças, 9ª Revisão.

Resultados: Dentre 9.274 procedimentos cirúrgicos, 921 resultaram em reinternações (9,9%); 183 tiveram EAIs confirmados, dos quais 73 foram EAIs maiores. Os procedimentos com EAIs maiores tiveram uma maior taxa de reinternação do que aqueles sem EAIs (24,7% vs. 9,8%, p<0,001). Nas análises multivariadas, os EAIs maiores estiveram associados independentemente a um aumento de duas vezes nas taxas de reinternação (OR=2,17 [IC 95%=1,22 a 3,86]; p=0,008); 67% das reinternações após EAIs maiores foram causadas por "complicações de procedimentos cirúrgicos ou do cuidado clínico", segundo a definição da Agency for Healthcare Research and Quality.

Conclusões: Os EAIs maiores estão associados independentemente ao aumento das taxas de reinternação em 30 dias. A prevenção de EAIs ou a mitigação de seus efeitos podem servir como um objetivo da melhoria de qualidade para reduzir as reinternações cirúrgicas. 

Palavras-chave: AHRQ; EAIs; eventos adversos intraoperatórios; grandes eventos adversos intraoperatórios; segurança do paciente; reinternações.

Resumo Original:

Background: Hospital-wide readmission rates recently became a recognized benchmarking quality metric. We sought to study the independent impact of major intraoperative adverse events (iAEs) on 30-day readmission in abdominal surgery.

Methods: The 2007 to 2012 institutional American College of Surgeons National Surgical Quality Improvement Program and administrative databases for abdominal operations were matched then screened for iAEs using the International Classification of Diseases, 9th Revision, Clinical Modification-based Patient Safety Indicator "Accidental Puncture/Laceration". Flagged charts were reviewed to confirm the presence of iAEs. Major iAEs were defined as class 3 or above, as per our recently validated iAE Classification System. The inpatient database was queried for readmission within 30 days from discharge. Univariate and multivariable models were constructed to analyze the independent impact of major iAEs on readmission, controlling for demographics, comorbidities, American Society of Anesthesiology class, and procedure type/approach/complexity (using relative value units as proxy). Reasons for readmission were investigated using the Agency for Healthcare Research and Quality's International Classification of Diseases, 9th Revision, Clinical Modification-based Clinical Classification Software.

Results: Of 9,274 surgical procedures; 921 resulted in readmission (9.9%), 183 had confirmed iAEs, 73 of which were major iAEs. Procedures with major iAEs had a higher readmission rate compared with procedures with no iAEs [24.7% vs 9.8%, P < .001]. In multivariable analyses, major iAEs were independently associated with a 2-fold increase in readmission rates [OR = 2.17 (95% CI = 1.22 to 3.86); P = .008]; 67% of readmissions after major iAEs were caused by "complications of surgical procedures or medical care" as defined by Agency for Healthcare Research and Quality.

Conclusions: Major iAEs are independently associated with increased rates of 30-day readmission. Preventing iAEs or mitigating their effects can serve as a quality improvement target to decrease surgical readmissions.

Fonte:
Am. J. Surg ; 213(1): 10-17; 2017. DOI: 10.1016/j.amjsurg.2016.03.018.