A identificação eletrônica de pacientes para a rotulagem de amostras reduz os erros relacionados a sangue errado em tubo.

Kaufman RM ; Dinh A ; Cohn CS ; Fung MK ; Gorlin J ; Melanson S ; Murphy MF
Título original:
Electronic patient identification for sample labeling reduces wrong blood in tube errors.
Resumo:

CONTEXTO:
Os erros relacionados a sangue errado em tubo (SET) são uma causa evitável de transfusões de concentrado de hemácias com incompatibilidade ABO. Os sistemas eletrônicos de identificação de pacientes (por exemplo, pela leitura do código de barras na pulseira do paciente antes da coleta de amostras pré-transfusão) reduzem os erros de SET, mas a efetividade desses sistemas não está clara.
DESENHO E MÉTODOS:
Parte 1: Usando dados retrospectivos, comparamos as taxas de SET em amostras pré-transfusão em hospitais que usavam a identificação manual de pacientes (n=16 hospitais; >1,6 milhão de amostras) com as taxas de SET em hospitais que usavam a identificação eletrônica de pacientes em algumas ou em todas as amostras coletadas (n=4 hospitais; >0,5 milhão de amostras). Além disso, comparamos as taxas de SET após a implementação da identificação eletrônica de pacientes com as taxas pré-implementação. As causas e a frequência de ocorrência de SET foram avaliadas em cada local. Parte 2: Laboratórios de serviços de transfusão (n=18) digitaram prospectivamente as amostras mal rotuladas (rejeitadas) (n=2844) para determinar as taxas de SET entre as amostras com pequenos erros de rotulagem.
RESULTADOS:
Parte 1: A taxa global não ajustada de SET em hospitais que usavam a identificação manual de pacientes foi de 1:10.110, em comparação com 1:35.806 nos hospitais que usavam a identificação eletrônica (p<0,0001). A correção com base em amostras repetidas e em casos de SET silenciosos resultou em taxas de SET ajustadas de 1:3046 nos hospitais que usavam a identificação manual e de 1:14.606 nos hospitais com identificação eletrônica (p<0,0001), com grande variação entre hospitais individuais. Parte 2: A taxa não ajustada de SET entre as amostras mal rotuladas (rejeitadas) foi de 1:71 (taxa de SET ajustada, 1:28).
CONCLUSÃO:
Neste estudo, o uso da identificação eletrônica de pacientes no momento da coleta de amostras pré-transfusão esteve associado a uma ocorrência de SET aproximadamente cinco vezes mais baixa que com o uso da identificação manual de pacientes. As taxas de SET foram altas entre as amostras mal rotuladas (rejeitadas), confirmando que a rejeição de amostras com erros de rotulagem, mesmo que menores, ajuda a mitigar o risco de transfusões com incompatibilidade ABO.

Resumo Original:

BACKGROUND:
Wrong blood in tube (WBIT) errors are a preventable cause of ABO-mismatched RBC transfusions. Electronic patient identification systems (e.g., scanning a patient's wristband barcode before pretransfusion sample collection) are thought to reduce WBIT errors, but the effectiveness of these systems is unclear.
STUDY DESIGN AND METHODS:
Part 1: Using retrospective data, we compared pretransfusion sample WBIT rates at hospitals using manual patient identification (n = 16 sites; >1.6 million samples) with WBIT rates at hospitals using electronic patient identification for some or all sample collections (n = 4 sites; >0.5 million samples). Also, we compared WBIT rates after implementation of electronic patient identification with preimplementation WBIT rates. Causes and frequencies of WBIT errors were evaluated at each site. Part 2: Transfusion service laboratories (n = 18) prospectively typed mislabeled (rejected) samples (n = 2844) to determine WBIT rates among samples with minor labeling errors.
RESULTS:
Part 1: The overall unadjusted WBIT rate at sites using manual patient identification was 1:10,110 versus 1:35,806 for sites using electronic identification (p < 0.0001). Correcting for repeat samples and silent WBIT errors yielded overall adjusted WBIT rates of 1:3046 for sites using manual identification and 1:14,606 for sites using electronic identification (p < 0.0001), with wide variation among individual sites. Part 2: The unadjusted WBIT rate among mislabeled (rejected) samples was 1:71 (adjusted WBIT rate, 1:28).
CONCLUSION:
In this study, using electronic patient identification at the time of pretransfusion sample collection was associated with approximately fivefold fewer WBIT errors compared with using manual patient identification. WBIT rates were high among mislabeled (rejected) samples, confirming that rejecting samples with even minor labeling errors helps mitigate the risk of ABO-incompatible transfusions.
 

Fonte:
; 59(3): 972-980; 2019. DOI: 10.1111/trf.15102.