Higienização das mãos e a segurança do paciente: perspectiva de docentes e universitários.

BELELA-ANACLETO, A. S. C. ; SOUSA, B. E. C. ; YOSHIKAWA, J. M. ; AVELAR, A. F. M. ; PEDREIRA, M. L. G.
Resumo Original:

Pesquisa exploratória, de abordagem quantitativa, com objetivo de identificar a perspectiva de docentes e universitários da área da saúde sobre aspectos relacionados à higienização das mãos e infecções relacionadas à assistência à saúde no cotidiano de sua prática. Responderam o instrumento estruturado com sete assertivas relacionadas à temática, 109 universitários e 53 docentes de uma universidade pública de São Paulo, Brasil. Observou-se discordância significativa entre os grupos quanto à afirmativa de que os locais de estágio dispõem de suprimentos em pontos que favoreçam a higienização das mãos (p=0,02), e concordância significante (p<0,01) quanto à indisponibilidade de álcool gel para higienização das mãos. As atividades práticas desenvolvidas pelos docentes e universitários ocorrem em locais nos quais não há adequada infraestrutura para práticas preconizadas de higienização das mãos, fato que pode contribuir para a ocorrência de falhas no processo de cuidar e compromete a segurança do paciente.

Descritores: Lavagem de mãos. Segurança do paciente. Infecção hospitalar.

Fonte:
Texto contexto - enferm ; 22(4): 901-908; 2013. DOI: 10.1590/S0104-07072013000400005.