Gestão ambulatorial de antibióticos através de uma abordagem de engenharia de fatores humanos: uma revisão sistemática

Keller SC ; Tamma PD ; Cosgrove SE ; Miller MA ; Sateia H ; Szymczak J ; Gurses AP
Título original:
Ambulatory Antibiotic Stewardship through a Human Factors Engineering Approach: A Systematic Review
Resumo:

Introdução: Nos Estados Unidos, a maior parte dos antibióticos é prescrita em ambientes ambulatoriais. A engenharia de fatores humanos, que explora as interações entre as pessoas e o local onde trabalham, tem conseguido melhorar a qualidade do cuidado. No entanto, os seus modelos não foram explorados para estabelecer o que se sabe sobre as intervenções de gestão de antibióticos (GA) ambulatorial e as barreiras e fatores facilitadores para a sua implementação. Métodos: Realizamos uma revisão sistemática e pesquisamos as bases de dados OVID MEDLINE, Embase, Scopus, Web of Science e CINAHL para identificar intervenções controladas e estudos qualitativos sobre a GA ambulatorial e determinar se e como incorporaram os princípios de um modelo de engenharia de fatores humanos — o modelo Systems Engineering Initiative for Patient Safety 2.0 (Iniciativa de Engenharia de Sistemas para a Segurança do Paciente 2.0). Este modelo descreve como um sistema de trabalho (a clínica ambulatorial) contribui para um processo (a prescrição de antibióticos) que gera certos resultados. O sistema de trabalho é formado por 5 componentes: ferramentas/tecnologia, organização, pessoas, tarefas e ambiente, dentro de um ambiente externo. Resultados: Dentre os 1.288 resumos identificados inicialmente, 42 estudos quantitativos e 17 estudos qualitativos cumpriram os critérios de inclusão. As intervenções eficazes se concentraram em ferramentas/tecnologia (por exemplo, apoio às decisões clínicas e exames realizados no local de atendimento), nas pessoas (educação médica), na organização (sistemas de auditoria e feedback e consultoria para a prescrição por especialistas acadêmicos), nas tarefas (atraso na prescrição de antibióticos), no ambiente (pôsteres estabelecendo compromissos) e no ambiente externo (campanhas na mídia). Os estudos não se concentraram em abordagens de GA implementadas nas clínicas como um todo. Conclusões: Uma abordagem de engenharia de fatores humanos sugere que a investigação da influência dos processos de uma clínica, do seu layout físico ou das pressões externas sobre a prescrição de antibióticos pode ser um caminho promissor para melhorar o GA ambulatorial.

Resumo Original:

INTRODUCTION: In the United States, most antibiotics are prescribed in ambulatory settings. Human factors engineering, which explores interactions between people and the place where they work, has successfully improved quality of care. However, human factors engineering models have not been explored to frame what is known about ambulatory antibiotic stewardship (AS) interventions and barriers and facilitators to their implementation. METHODS: We conducted a systematic review and searched OVID MEDLINE, Embase, Scopus, Web of Science, and CINAHL to identify controlled interventions and qualitative studies of ambulatory AS and determine whether and how they incorporated principles from a human factors engineering model, the Systems Engineering Initiative for Patient Safety 2.0 model. This model describes how a work system (ambulatory clinic) contributes to a process (antibiotic prescribing) that leads to outcomes. The work system consists of 5 components, tools and technology, organization, person, tasks, and environment, within an external environment. RESULTS: Of 1,288 abstracts initially identified, 42 quantitative studies and 17 qualitative studies met inclusion criteria. Effective interventions focused on tools and technology (eg, clinical decision support and point-of-care testing), the person (eg, clinician education), organization (eg, audit and feedback and academic detailing), tasks (eg, delayed antibiotic prescribing), the environment (eg, commitment posters), and the external environment (media campaigns). Studies have not focused on clinic-wide approaches to AS. CONCLUSIONS: A human factors engineering approach suggests that investigating the role of the clinic's processes or physical layout or external pressures' role in antibiotic prescribing may be a promising way to improve ambulatory AS.

Fonte:
J Am Board Fam Med ; 31(3): 417-430; 2018. DOI: 10.3122/jabfm.2018.03.170225.