Fazendo um "Ajuste de Atitude": Uso de uma estratégia de educação interprofissional através de simulação avançada para melhorar as atitudes em relação ao trabalho em equipe e à comunicação

WONG, A. H. ; GANG, M. ; SZYLD, D. ; MAHONEY, H.
Título original:
Making an “Attitude Adjustment”: Using a simulation-enhanced interprofessional education strategy to improve attitudes toward teamwork and communication
Resumo:

Introdução: Os profissionais de saúde devem trabalhar de forma eficaz e colaborativa em equipes altamente qualificadas, mas existem poucas estratégias de treinamento interprofissional. A educação interprofissional (EIP) usando tecnologias de simulação tem ganhado popularidade como uma forma de atender a essa necessidade, devido à sua capacidade inerente de afetar as estruturas cognitivas dos participantes e promover o diálogo entre pares. As atitudes dos profissionais de saúde em relação ao trabalho em equipe estão diretamente ligadas à qualidade do cuidado. Implementamos uma intervenção de EIP utilizando simulação avançada para melhorar as atitudes dos profissionais de saúde em relação ao trabalho em equipe e à comunicação interprofissional em um serviço de emergência. 

Métodos: O curso de 3 horas consistiu numa sessão didática destacando estratégias de trabalho em equipe e comunicação, 2 cenários de simulação sobre choque séptico e parada cardíaca e um debriefing estruturado destinado a afetar as atitudes dos participantes em relação ao trabalho em equipe e à comunicação. Este foi um estudo observacional baseado em inquéritos. Utilizamos o TeamSTEPPS Teamwork Attitudes Questionnaire imediatamente antes e após a sessão para medir as mudanças de atitude, bem como o Hospital Survey on Patient Safety Culture antes da sessão e 1 ano após a intervenção para avaliar o impacto do programa sobre o comportamento. 

Resultados: Um total de 72 enfermeiros e médicos residentes do serviço de emergência participaram do curso, de julho a setembro de 2012. Dos 5 construtos do TeamSTEPPS Teamwork Attitudes Questionnaire, 4 apresentaram melhorias significativas em seus escores: 6,4%, 2,8%, 4,0% e 4,0% para estrutura da equipe, liderança, monitoramento da situação e apoio mútuo, respectivamente (p < 0,0001, p = 0,029, p = 0,014 e p = 0,003, respectivamente). No Hospital Survey on Patient Safety Culture, 3 de 6 indicadores compostos diretamente relacionados ao trabalho em equipe e à comunicação apresentaram melhorias significativas: 20,6%, 20,5% e 23,9% para a frequência da notificação de eventos, o trabalho em equipe em unidades hospitalares e as passagens de casos e transições hospitalares, respectivamente (p = 0,028, p = 0,035 e p = 0,024, respectivamente). 

Conclusões: Um currículo de EIP usando simulação avançada conseguiu melhorar as atitudes dos participantes em relação ao trabalho em equipe e a componentes da cultura de segurança do paciente ligados ao trabalho em equipe e à comunicação.

Resumo Original:

Introduction: Health care providers must effectively function in highly skilled teams in a collaborative manner, but there are few interprofessional training strategies in place. Interprofessional education (IPE) using simulation technology has gained popularity to address this need because of its inherent ability to impact learners’ cognitive frames and promote peer-to-peer dialog. Provider attitudes toward teamwork have been directly linked to the quality of patient care. Investigators implemented a simulation-enhanced IPE intervention to improve staff attitudes toward teamwork and interprofessional communication in the emergency department setting.

Methods: The 3-hour course consisted of a didactic session highlighting teamwork and communication strategies, 2 simulation scenarios on septic shock and cardiac arrest, and structured debriefing directed at impacting participant attitudes to teamwork and communication. This was a survey-based observational study. We used the TeamSTEPPS Teamwork Attitudes Questionnaire immediately before and after the session as a measurement of attitude change as well as the Hospital Survey on Patient Safety Culture before the session and 1 year after the intervention for program impact at the behavior level.

Results: Seventy-two emergency department nurses and resident physicians participated in the course from July to September 2012. Of the 5 constructs in TeamSTEPPS Teamwork Attitudes Questionnaire, 4 had a significant improvement in scores—6.4%, 2.8%, 4.0%, and 4.0% for team structure, leadership, situation monitoring, and mutual support, respectively (P < 0.0001, P = 0.029, P = 0.014, and P = 0.003, respectively). For Hospital Survey on Patient Safety Culture, 3 of 6 composites directly related to teamwork and communication showed a significant improvement—20.6%, 20.5%, and 23.9%, for frequency of event reporting, teamwork within hospital units, and hospital handoffs and transitions, respectively (P = 0.028, P = 0.035, and P = 0.024, respectively).

Conclusions: A simulation-enhanced IPE curriculum was successful in improving participant attitudes toward teamwork and components of patient safety culture related to teamwork and communication.

Fonte:
Simul Healthc ; 11(2): 117–125; 2016. DOI: 10.1097/SIH.0000000000000133.