Fatores que contribuem para incidentes de segurança do paciente na atenção primária: uma análise descritiva dos incidentes de segurança do paciente em um estudo francês usando a classificação CADYA

Chaneliere, M. ; Koehler, D. ; Morlan, T. ; Berra, J. ; Colin, C. ; Dupie, I. ; Michel, P.
Título original:
Factors contributing to patient safety incidents in primary care: a descriptive analysis of patient safety incidents in a French study using CADYA (categorization of errors in primary care)
Resumo:

CONTEXTO: Os incidentes de segurança do paciente (ISPs) ocorrem com frequência na atenção primária, sendo muitas vezes considerados evitáveis. Para promover um cuidado mais seguro, é necessário um melhor conhecimento dos fatores que contribuem para os ISPs. O objetivo deste trabalho foi descrever os fatores subjacentes, especificamente os fatores humanos, associados aos ISPs na atenção primária usando a classificação CADYA (“CAtegorisation des DYsfonctionnements en Ambulatoire” ou “Categorização de Erros na Atenção Primária”). MÉTODOS: Realizamos um estudo de métodos mistos com análise de conteúdo e codificação dos ISPs relatados no estudo ESPRIT, um estudo transversal francês realizado em ambientes de atenção primária. Para cada incidente, foi identificado um fator contribuinte principal (FP) e, quando relevante, um fator contribuinte secundário (FS). Foram sugeridas diversas palavras-chave descritivas obtidas em um glossário incremental para descrever cada fator humano identificado (atitudes ou comportamentos). Foi então realizada uma análise estatística. RESULTADOS: Entre os 482 ISPs relatados no estudo ESPRIT, de 13.438 atos relatados por 127 médicos generalistas participantes, identificamos 590 fatores contribuintes (482 FPs e 178 FSs). Ao todo, 35% estiveram relacionados aos processos de cuidado, 30% a fatores humanos, 22% ao ambiente de saúde e 13% a fatores técnicos. Os fatores contribuintes, em ordem decrescente de frequência, foram erros de comunicação (13,7%), fatores humanos relacionados aos profissionais da saúde (12,9%) e fatores humanos relacionados aos pacientes (12,9%). Os fatores humanos estiveram relacionados principalmente a “falta de atenção”, “estresse”, “raiva” e “cansaço”. CONCLUSÕES: Nossos resultados tendem a demonstrar que os fatores humanos estão frequentemente envolvidos na ocorrência de ISPs em ambientes de atenção primária, cuja responsabilidade divide-se igualmente entre médicos generalistas e pacientes. Para além da identificação de erros de comunicação, frequentemente encontrados em outros estudos internacionais, descrevemos as atitudes e comportamentos que contribuem para o cuidado inseguro. São necessários novos estudos que examinem as associações entre as condições de trabalho e os fatores humanos.

Resumo Original:

BACKGROUND: Patient safety incidents (PSIs) frequently occur in primary care and are often considered to be preventable. Better knowledge of factors contributing to PSIs is required to build safer care. The aim of this work was to describe the underlying factors, specifically the human factors, that are associated with PSIs in primary care using CADYA ("CAtegorisation des DYsfonctionnements en Ambulatoire" or "Categorization of Errors in Primary Care"). METHODS: We followed a mixed method with content analysis and coding in CADYA of PSIs reported in the ESPRIT study, a French cross-sectional survey of primary care. For each incident, a main contributing factor (MD) and, if applicable, a secondary contributing factor (SD) were identified. Several descriptive keywords from an incremental glossary have been suggested to describe each identified human factor (attitudes or behaviours). A descriptive statistical analysis was then conducted. RESULTS: Among the 482 PSIs reported in the ESPRIT study, from 13,438 acts reported by 127 participating general practitioners (GPs), we identified 590 contributing factors (482 MDs and 178 SDs). Overall, 35% were related to the care process, 30% to human factors, 22% to the healthcare environment and 13% to technical factors. The contributing factors, in decreasing order of frequency, were communication errors (13.7%), human factors related to healthcare providers (12.9%) and human factors related to patients (12.9%). The human factors were mainly related to 'lack of attention', 'stress', 'anger' and 'fatigue'. CONCLUSIONS: Our results tend to prove that human factors are often involved in PSIs in primary care, with GPs and patients being equally responsible. Beyond the identification of communication errors, often found in other international research, we have described the attitudes and behaviours contributing to unsafe care. Further research exploring the links between working conditions and human factors is required.

Fonte:
BMC Fam Pract ; 19(1): 121; 2018. DOI: 10.1186/s12875-018-0803-9.