Fatores a considerar na introdução de reuniões rápidas de segurança em enfermarias clínicas: percepções de profissionais do programa SAFE

STAPLEY, E. ; SHARPLES, E. ; LACHMAN, P. ; LAKHANPAUL, M. ; WOLPERT, M. ; DEIGHTON, J.
Título original:
Factors to consider in the introduction of huddles on clinical wards: perceptions of staff on the SAFE programme
Resumo:

Objetivos: Explorar as percepções dos profissionais de um hospital pediátrico sobre os benefícios e os desafios emergentes relacionados às reuniões rápidas de segurança, uma nova iniciativa de melhoria da segurança, bem como as barreiras e os fatores facilitadores para a sua implementação.

Desenho: Realizamos um estudo qualitativo utilizando entrevistas semiestruturadas para explorar as perspectivas e experiências dos profissionais.

Ambiente: O programa Situation Awareness For Everyone (SAFE), um programa de melhoria da segurança, foi implementado em um conjunto de enfermarias pediátricas do National Health Service (NHS) britânico de setembro de 2014 a junho de 2016. As reuniões rápidas de segurança, que são um componente central do programa, não haviam sido testadas anteriormente na Inglaterra.

Participantes: Realizamos entrevistas semiestruturadas com 76 profissionais de quatro enfermarias, aproximadamente quatro meses após o início do programa.

Resultados: A análise temática mostrou que os profissionais consideram que as reuniões rápidas de segurança ajudam a aumentar a conscientização sobre questões importantes, melhoram a comunicação, facilitam o trabalho em equipe e promovem uma cultura de maior eficiência, previsão e planejamento na enfermaria. Os desafios ligados às reuniões rápidas de segurança incluíram o aumento da carga de trabalho e o consumo do tempo dos profissionais da saúde e a potencial exclusão dos enfermeiros iniciantes, o que poderia reforçar inadvertidamente as hierarquias médicas. Os profissionais também identificaram várias barreiras e fatores facilitadores para o processo, incluindo a importância das altas lideranças médicas e de enfermagem e a necessidade de gerir adequadamente o tempo de trabalho e as capacidades dos profissionais.

Conclusões: Os resultados deste estudo indicam que as reuniões rápidas de segurança são potencialmente efetivas como uma forma de melhorar os ambientes de trabalho e a prática clínica dos profissionais hospitalares, com importantes implicações para outros serviços de saúde que procurem implementar iniciativas semelhantes de melhoria da segurança.

Resumo Original:

Objectives: To explore paediatric hospital staff members' perceptions of the emerging benefits and challenges of the huddle, a new safety improvement initiative, as well as the barriers and facilitators to its implementation.

Design: A qualitative study was conducted using semi-structured interviews to explore staff perspectives and experiences.

Setting: Situation Awareness For Everyone (SAFE), a safety improvement programme, was implemented on a sample of National Health Service (NHS) paediatric wards from September 2014 to June 2016. Previously untested in England, the huddle was a central component of the programme.

Participants: Semi-structured interviews were conducted with 76 staff members on four wards ~4 months after the start of the programme.

Results: A thematic analysis showed that staff perceived the huddle as helping to increase their awareness of important issues, improve communication, facilitate teamwork, and encourage a culture of increased efficiency, anticipation and planning on the ward. Challenges of the huddle included added pressure on staff time and workload, and the potential for junior nurses to be excluded from involvement, thus perhaps inadvertently reinforcing medical hierarchies. Staff also identified several barriers and facilitators to the huddle process, including the importance of senior nursing and medical staff leadership and managing staff time and capacity issues.

Conclusions: The findings point towards the potential efficacy of the huddle as a way of improving hospital staff members' working environments and clinical practice, with important implications for other sites seeking to implement such safety improvement initiatives. © The Author 2017. Published by Oxford University Press in association with the International Society for Quality in Health Care.

Fonte:
Int J Qual Health Care ; 30(1): 44-49; 2018. DOI: 10.1093/intqhc/mzx162.