Facilitação da inovação cirúrgica: é possível acelerar a introdução de novas tecnologias, melhorando simultaneamente a segurança do paciente?

Marcus RK ; Lillemoe HA ; Caudle AS ; Weinberg JS ; Gidley PW ; Skibber JM ; Levenback CF
Título original:
Facilitation of Surgical Innovation: Is It Possible to Speed the Introduction of New Technology While Simultaneously Improving Patient Safety?
Resumo:

CONTEXTO: Os avanços futuros na área cirúrgica dependerão da capacidade de implementar dispositivos e procedimentos inovadores de forma segura. Este estudo descreve uma abordagem institucional estruturada para a introdução de inovações cirúrgicas que melhoram a eficiência e a segurança do paciente e que é transferível para outras unidades de saúde. OBJETIVO: Fazer uma revisão de indicadores de eficiência e dados de segurança do paciente antes e após a implementação de um processo de revisão estruturada para inovações cirúrgicas. RESUMO DOS DADOS DE BASE: As inovações cirúrgicas vão desde melhorias graduais pequenas até a experimentação radical. Embora os paradigmas de inovação já tenham sido descritos, não foram amplamente adotados ou aplicados pela comunidade cirúrgica. MÉTODOS: Uma Equipe de Melhoria Contínua da Qualidade (EMCQ), formada por funcionários responsáveis pela qualidade cirúrgica e por enfermeiros perioperatórios, foi organizada para realizar revisões estruturadas de novos dispositivos e procedimentos cirúrgicos propostos em um grande hospital quaternário especializado no tratamento de câncer. O processo EMCQ foi implantado de modo a preceder uma avaliação feita por uma Equipe de Análise de Valor já estabelecida. Foi feita uma comparação entre os indicadores da eficiência do processo de aprovação e da segurança do paciente pré e pós-implementação da EMCQ. Sete novos procedimentos também foram avaliados pela EMCQ. RESULTADOS: Ao todo, 46 pedidos de produtos foram avaliados após o estabelecimento da EMCQ. Em comparação com 34 produtos avaliados antes do estabelecimento da EMCQ, o tempo médio total de avaliação diminuiu de 124 para 51 dias (p=0,007). Para novos dispositivos que precisavam de avaliação intraoperatória, o tempo entre a proposta do produto e o teste diminuiu de uma média de 260 para 99 dias (p=0,014). A taxa de complicações relacionadas aos dispositivos no grupo pré-EMCQ foi de 10%, em comparação com 0% pós-EMCQ. Dois dispositivos, que por razões administrativas não foram revistos pela EMCQ, envolveram complicações leves e graves, incluindo um óbito. Cinco novos procedimentos aprovados pela EMCQ através de simulações foram realizados sem complicações. CONCLUSÕES: Usando novos algoritmos, o estabelecimento de uma equipe de funcionários responsáveis pela qualidade cirúrgica dedicada ao processo de avaliação de inovações cirúrgicas melhorou a eficiência e a segurança associadas à introdução de novos dispositivos e procedimentos na prática.
 

Resumo Original:

MINI: Future advancement of the field of surgery is dependent on its ability to safely implement innovative devices and procedures. This study describes a structured institutional approach to the introduction of surgical innovations that improved efficiency and patient safety, and is transferrable to other centers. OBJECTIVE: To review efficiency metrics and patient safety data before and after implementation of a structured review process for surgical innovations. SUMMARY BACKGROUND DATA: Surgical innovation ranges from minor incremental improvement to radical experimentation. Although innovation paradigms have been described, these are not widely adopted or enforced in the surgical community. METHODS: A Continuous Quality Improvement Team (CQIT) of surgical quality officers and perioperative nurses was organized to perform structured reviews of proposed new surgical devices and procedures at a large quaternary cancer care center. The CQIT process was placed to precede an established Value Analysis Team business evaluation. Pre- and post-CQIT implementation metrics of approval process efficiency and patient safety data were compared. Seven novel procedures were also vetted by the CQIT. RESULTS: Forty-six product requests were evaluated after CQIT implementation. Compared with 34 products evaluated prior to CQIT establishment, the total mean evaluation time decreased from 124 to 51 days (P= 0.007). For new devices requiring intraoperative trial, the time between product proposal and trial decreased from a mean of 260 to 99 days (P= 0.014). The rate of device-related complications in the pre-CQIT group was 10% compared with 0% post-CQIT. Two devices, which administratively bypassed CQIT review, had both minor and major complications, including a mortality. Five novel procedures approved by CQIT with simulation were performed without complications. CONCLUSIONS: Using novel algorithms, the addition of a dedicated team of surgical quality officers to the surgical innovation evaluation process improved both the efficiency and the safety associated with introducing new devices and procedures into practice.
 

Fonte:
; 26: 2019. DOI: 10.1097/SLA.0000000000003290.