Eventos hospitalares de segurança do paciente em populações vulneráveis: um estudo de coorte retrospectivo

Lucy B Schulson ; Victor Novack ; Patricia H Folcarelli ; Jennifer P Stevens ; Bruce E Landon
Título original:
Inpatient patient safety events in vulnerable populations: a retrospective cohort study
Resumo:

CONTEXTO: A atenção generalizada dada ao racismo estrutural tem aumentado o interesse pelas disparidades na qualidade do cuidado prestado às minorias étnicas/raciais e outras populações vulneráveis. Esses grupos também podem ter um maior risco de sofrer eventos de segurança do paciente. OBJETIVO: Examinar as diferenças na ocorrência de eventos hospitalares de segurança do paciente em populações vulneráveis definidas por raça/etnia, cobertura por seguro de saúde e baixo conhecimento de língua inglesa (BCLI). DESENHO: Estudo de coorte retrospectivo. AMBIENTE: Um hospital universitário terciário. PARTICIPANTES: Pacientes com idade >18 anos internados entre 1 de outubro de 2014 e 31 de dezembro de 2018. MEDIDAS: As principais variáveis de interesse foram raça/etnia autoidentificada, cobertura por seguro de saúde do Medicaid e BCLI. O desfecho de interesse principal foi o número total de eventos de segurança do paciente, definidos como quaisquer eventos identificados por uma versão modificada da ferramenta de rastreamento global do Institute for Healthcare Improvement, que identifica automaticamente os eventos de segurança do paciente a partir de prontuários médicos eletrônicos (sistema “automatizado”), ou identificados em registros hospitalares de notificação voluntária pelos profissionais (sistema “voluntário”). Utilizamos modelos binomiais negativos para fazer o ajuste por fatores demográficos e clínicos. Também estratificamos os resultados com base em seu registro em sistemas automatizados ou voluntários. RESULTADOS: Estudamos 141.877 hospitalizações, das quais 13,6% tiveram algum evento de segurança do paciente. Em análises ajustadas, a raça/etnia asiática esteve associada a uma menor taxa de eventos (risco relativo de incidente [RRI] 0,89, IC 95% 0,83 a 0,96); pacientes com BCLI tiveram um menor risco de apresentar qualquer evento de segurança do paciente e eventos registrados em sistemas voluntários (RRI 0,91, IC 95% 0,87 a 0,96; RRI 0,89, IC 95% 0,85 a 0,94). Raça/etnia asiática e latina também estiveram associadas a uma menor taxa de eventos registrados em sistemas voluntários, mas sem diferenças no risco de eventos registrados em sistemas automatizados. A raça negra esteve associada a um maior risco de eventos registrados em sistemas automatizados (RRI 1,11, IC 95% 1,03 a 1,20). LIMITAÇÕES: Este foi um estudo em um único centro. CONCLUSÕES: A notificação voluntária de incidentes, um método usado com frequência para monitorar problemas de segurança do paciente, pode levar à subdetecção de eventos de segurança em populações vulneráveis.
 

Resumo Original:

BACKGROUND: Widespread attention to structural racism has heightened interest in disparities in the quality of care delivered to racial/ethnic minorities and other vulnerable populations. These groups may also be at increased risk of patient safety events. OBJECTIVE: To examine differences in inpatient patient safety events for vulnerable populations defined by race/ethnicity, insurance status and limited English proficiency (LEP). DESIGN: Retrospective cohort study. SETTING: Single tertiary care academic medical centre. PARTICIPANTS: Inpatient admissions of those aged ≥18 years from 1 October 2014 to 31 December 2018. MEASUREMENTS: Primary exposures of interest were self-identified race/ethnicity, Medicaid insurance/uninsured and LEP. The primary outcome of interest was the total number of patient safety events, defined as any event identified by a modified version of the Institute for Healthcare Improvement global trigger tool that automatically identifies patient safety events ('automated') from the electronic record or by the hospital-wide voluntary provider reporting system ('voluntary'). Negative binomial models were used to adjust for demographic and clinical factors. We also stratified results by automated and voluntary. RESULTS: We studied 141 877 hospitalisations, of which 13.6% had any patient safety event. In adjusted analyses, Asian race/ethnicity was associated with a lower event rate (incident rate ratio (IRR) 0.89, 95% CI 0.83 to 0.96); LEP patients had a lower risk of any patient safety event and voluntary events (IRR 0.91, 95% CI 0.87 to 0.96; IRR 0.89, 95% CI 0.85 to 0.94). Asian and Latino race/ethnicity were also associated with a lower rate of voluntary events but no difference in risk of automated events. Black race was associated with an increased risk of automated events (IRR 1.11, 95% CI 1.03 to 1.20). LIMITATIONS: This is a single centre study. CONCLUSIONS: A commonly used method for monitoring patient safety problems, namely voluntary incident reporting, may underdetect safety events in vulnerable populations.

Fonte: