Empoderamento de pessoas para ajudá-las a manifestar as suas preocupações de segurança na atenção primária: envolvimento de pacientes e profissionais para codesenhar novas intervenções para pacientes com multimorbidade

KNOWLES, S. ; HAYS, R. ; SENRA, H. ; BOWER, P. ; LOCOCK, L. ; PROTHEROE, J. ; SANDERS, C.
Título original:
Empowering people to help speak up about safety in primary care: Using codesign to involve patients and professionals in developing new interventions for patients with multimorbidity
Resumo:

Contexto: A multimorbidade, definida como a presença de duas ou mais doenças de longa duração, é cada vez mais comum na atenção primária, e estes pacientes podem enfrentar dificuldades específicas ligadas à qualidade do cuidado e maiores riscos de segurança devido à complexidade do gerenciamento de múltiplas doenças. Em resposta aos apelos para envolver diretamente os usuários dos serviços na melhoria do cuidado, procuramos usar materiais de desenho para codesenhar novas intervenções destinadas a melhorar a segurança na atenção primária.

Desenho: Baseamo-nos em dois métodos já bem estabelecidos: o codesenho baseado na experiência acelerada (accelerated experience-based codesign) e a abordagem do workshop futuro (future workshop approach). Sintetizamos os materiais de desenho com base em uma pesquisa sobre a experiência de pacientes com a segurança e a multimorbidade na atenção primária para permitir que pacientes, usuários de serviços, cuidadores e profissionais da saúde propusessem intervenções para melhorar o cuidado.

Resultados: Tanto pacientes como profissionais priorizaram a polifarmácia como uma ameaça à segurança. Suas recomendações para intervenções de apoio foram consistentes com a teoria da Carga de Tratamento, enfatizando a capacidade limitada dos pacientes com multimorbidade e a necessidade de que os serviços ofereçam apoio de forma proativa para reduzir a carga com o gerenciamento de regimes terapêuticos complexos.

Discussão e conclusões: O processo foi viável e aceitável para os participantes, que valorizaram a oportunidade de propor conjuntamente novas intervenções. A abordagem iterativa do workshop permitiu que a equipe de pesquisa explorasse e refinasse as sugestões dos participantes. As recomendações finais incluíram a necessidade de lembretes acessíveis para apoiar a adesão à medicação e a revisão da medicação de pacientes particularmente vulneráveis, a ser realizada por farmacêuticos nos consultórios de médicos da atenção primária.

Resumo Original:

Background: Multimorbidity, defined as the presence of two or more long-term conditions, is increasingly common in primary care, and patients with multimorbidity may face particular barriers to quality of care and increased safety risks due to the complexity of managing multiple conditions. Consistent with calls to directly involve service users in improving care, we aimed to use design materials to codesign new interventions to improve safety in primary care.

Design: We drew on two established methods-accelerated experience-based codesign and the future workshop approach. We synthesized design materials based on research into the patient experience of safety and multimorbidity in primary care to enable both patients, service users and carers, and primary health-care professionals to propose interventions to improve care.

Results: Both patients and professionals prioritized polypharmacy as a threat to safety. Their recommendations for supportive interventions were consistent with Burden of Treatment theory, emphasizing the limited capacity of patients with multimorbidity and the need for services to proactively offer support to reduce the burden of managing complex treatment regimes.

Discussion & Conclusions:The process was feasible and acceptable to participants, who valued the opportunity to jointly propose new interventions. The iterative workshop approach enabled the research team to better explore and refine the suggestions of attendees. Final recommendations included the need for accessible reminders to support medication adherence and medication reviews for particularly vulnerable patients conducted with pharmacists within GP practices.

Fonte:
Health expect ; 2017. DOI: 10.1111/hex.12648.
Nota Geral:

Online First