Em busca de um consenso sobre as prioridades globais da pesquisa para a segurança de medicamentos: um exercício de priorização internacional

Aziz Sheikh ; Igor Rudan ; Kathrin Cresswell ; Neelam Dhingra-Kumar ; Mei Lee Tan ; Minna L Häkkinen ; Liam Donaldson
Título original:
Agreeing on global research priorities for medication safety: an international prioritisation exercise
Resumo:

Objetivos
Os erros de medicação ainda contribuem substancialmente para a morbidade e mortalidade em todo o mundo. No contexto do recente lançamento, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), do Terceiro Desafio Global para a Segurança do Paciente: Medicação Sem Danos, procuramos estabelecer um consenso sobre as prioridades da pesquisa sobre a segurança dos medicamentos.
Métodos
Realizamos um exercício de priorização por consenso usando uma abordagem desenvolvida pela Child Health and Nutrition Research Initiative. Com base em uma combinação de produtividade e citações, identificamos os maiores pesquisadores em segurança do paciente e segurança dos medicamentos e os convidamos a participar. Também estendemos o convite a um grupo de especialistas da Global Patient Safety Network da OMS. Todos os especialistas sugeriram ideias para a pesquisa de forma independente, classificando-as então, também de forma independente, com base nos critérios de: efetividade, inovação, implementação, redução da carga de doença, equidade e a possibilidade de que a questão de pesquisa seja respondida. Para cada questão de pesquisa foi calculada uma Pontuação Prioritária e o Consenso Médio entre Especialistas.
Resultados
Ao todo, 131 especialistas apresentaram 333 ideias de pesquisa, e 42 especialistas pontuaram então as questões de pesquisa propostas. As principais áreas de pesquisa priorizadas foram: (1) implementação e ampliação do uso da tecnologia para aumentar a segurança dos medicamentos, (2) desenvolvimento de diretrizes e procedimentos operacionais-padrão para pacientes, medicamentos e contextos de alto risco, (3) abordagens baseadas em escores para prever quais seriam os pacientes e situações de alto risco, (4) intervenções para aumentar a educação dos pacientes (literacia) sobre a medicação, (5) cursos de formação voltados aos profissionais da saúde e (6) pictogramas de aplicação universal para evitar os danos relacionados aos medicamentos. Embora tenha sido dada ênfase à educação e ao envolvimento dos pacientes em ambientes com diferentes níveis de recursos, as prioridades identificadas em contextos com grande disponibilidade de recursos centraram-se na otimização dos sistemas existentes através da tecnologia. Em ambientes com disponibilidade baixa ou média de recursos, as prioridades centraram-se na identificação de questões sistêmicas que contribuem para situações de alto risco.
Conclusões
A OMS pretende agora trabalhar com agências de financiamento de pesquisa a nível global, regional e nacional para catalisar o investimento necessário para permitir que as equipes avancem nestas prioridades de pesquisa para a segurança dos medicamentos em contextos nacionais com alta, média e baixa disponibilidade de recursos.

Resumo Original:

Objectives
Medication errors continue to contribute substantially to global morbidity and mortality. In the context of the recent launch of the World Health Organization’s (WHO) Third Global Patient Safety Challenge: Medication Without Harm, we sought to establish agreement on research priorities for medication safety.
Methods
We undertook a consensus prioritisation exercise using an approach developed by the Child Health and Nutrition Research Initiative. Based on a combination of productivity and citations, we identified leading researchers in patient and medication safety and invited them to participate. We also extended the invitation to a further pool of experts from the WHO Global Patient Safety Network. All experts independently generated research ideas, which they then independently scored based on the criteria of: answerability, effectiveness, innovativeness, implementation, burden reduction and equity. An overall Research Priority Score and Average Expert Agreement were calculated for each research question.
Findings
131 experts submitted 333 research ideas, and 42 experts then scored the proposed research questions. The top prioritised research areas were: (1) deploying and scaling technology to enhance medication safety; (2) developing guidelines and standard operating procedures for high-risk patients, medications and contexts; (3) score-based approaches to predicting high-risk patients and situations; (4) interventions to increase patient medication literacy; (5) focused training courses for health professionals; and (6) universally applicable pictograms to avoid medication-related harm. Whilst there was a focus on promoting patient education and involvement across resource settings, priorities identified in high-resource settings centred on the optimisation of existing systems through technology. In low- and middle-resource settings, priorities focused on identifying systemic issues contributing to high-risk situations.
Conclusions
WHO now plans to work with global, regional and national research funding agencies to catalyse the investment needed to enable teams to pursue these research priorities in medication safety across high-, middle- and low-resource country settings.


 

Fonte:
; 9(1): 010422; 2019. DOI: 10.7189/jogh.09.010422..