Efeito da intervenção de farmacêuticos em ambientes de terapia intensiva sobre os erros de medicação: uma revisão sistemática e metanálise de estudos observacionais

WANG, T. ; BENEDICT, N. ; OLSEN, K. M. ; LUAN, R. ; ZHU, X. ; ZHOU, N. ; TANG, H.
Título original:
Effect of critical care pharmacist's intervention on medication errors: A systematic review and meta-analysis of observational studies
Resumo:

Os farmacêuticos são membros essenciais da equipe multidisciplinar que cuida de pacientes criticamente doentes. Muitos estudos controlados não randomizados avaliaram os resultados da intervenção de farmacêuticos na unidade de terapia intensiva (UTI). Essa revisão sistemática concentrou-se em estudos clínicos controlados que avaliaram o efeito da intervenção de farmacêuticos sobre os erros de medicação (EMs) em UTIs. Dois revisores independentes pesquisaram as bases de dados Medline, Embase e Cochrane. Os critérios de inclusão foram: estudos controlados não randomizados que avaliassem o efeito dos serviços de farmacêuticos vs. nenhuma intervenção sobre as taxas de EMs em UTIs. Quatro estudos foram incluídos na metanálise. Os resultados sugerem que a intervenção de farmacêuticos não contribui significativamente para a redução dos EMs em geral, embora possa reduzir significativamente os eventos adversos evitáveis ligados à medicação e os erros de prescrição. Esta metanálise destaca a necessidade de estudos de alta qualidade para examinar o efeito da intervenção de farmacêuticos em ambientes de terapia intensiva.

Resumo Original:

Pharmacists are integral members of the multidisciplinary team for critically ill patients. Multiple nonrandomized controlled studies have evaluated the outcomes of pharmacist interventions in the intensive care unit (ICU). This systematic review focuses on controlled clinical trials evaluating the effect of pharmacist intervention on medication errors (MEs) in ICU settings. Two independent reviewers searched Medline, Embase, and Cochrane databases. The inclusion criteria were nonrandomized controlled studies that evaluated the effect of pharmacist services vs no intervention on ME rates in ICU settings. Four studies were included in the meta-analysis. Results suggest that pharmacist intervention has no significant contribution to reducing general MEs, although pharmacist intervention may significantly reduce preventable adverse drug events and prescribing errors. This meta-analysis highlights the need for high-quality studies to examine the effect of the critical care pharmacist.

Fonte:
J Crit Care ; 30(5): 1101-1106; 2015. DOI: 10.1016/j.jcrc.2015.06.018.