Drenagem de secreções subglóticas para prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica: revisão sistemática e metanálise

MUSCEDERE, J. ; REWA, O. ; McKECHNIE, K. ; JIANG, X. ; LAPORTA, D. ; HEYLAND, D. K.
Título original:
Subglottic secretion drainage for the prevention of ventilatorassociated pneumonia: A systematic review and meta-analysis
Resumo:

Contexto e objetivo: A aspiração de secreções com patógenos bacterianos para o trato respiratório inferior é a principal causa de pneumonia associada à ventilação mecânica. Tubos endotraqueais que permitem a drenagem de secreções subglóticas podem reduzir a ocorrência de aspiração e, portanto, a incidência de pneumonia associada à ventilação mecânica. Recentemente, foram publicadas novas evidências de que a drenagem de secreções subglóticas é uma medida preventiva para a pneumonia associada à ventilação mecânica. Para considerar as evidências em sua totalidade, fizemos uma revisão sistemática atualizada e uma metanálise.

Desenho: Fizemos uma pesquisa em bancos de dados computadorizados, listas de referências e arquivos pessoais. Incluímos estudos clínicos randomizados com pacientes em ventilação mecânica que compararam os tubos endotraqueais tradicionais aos tubos com drenagem de secreções subglóticas e que examinaram a ocorrência de pneumonia associada à ventilação mecânica. A metanálise dos estudos avaliou a ocorrência de pneumonia associada à ventilação mecânica como desfecho primário, além de resultados clínicos secundários.

Medidas e resultados principais: No total, 13 estudos clínicos randomizados preencheram os critérios de inclusão, com um total de 2.442 pacientes randomizados. Dentre esses 13 estudos, 12 descreveram uma redução nas taxas de pneumonia associada à ventilação mecânica no grupo submetido à drenagem de secreções subglóticas. Na metanálise, o risco relativo geral de pneumonia associada à ventilação mecânica foi de 0,55 (intervalo de confiança [IC] de 95%, 0,46-0,66; p < 0,00001), sem heterogeneidade (I2 = 0%). A drenagem de secreções subglóticas esteve associada a uma redução no tempo de permanência na unidade de terapia intensiva (1,52 dias; IC 95%, 2,94-0,11; p = 0,03), a uma menor duração da ventilação mecânica (1,08 dias; IC 95%, 2,04-0,12; p = 0,03) e a um maior tempo até o primeiro episódio de pneumonia associada à ventilação mecânica (2,66 dias; IC 95%, 1,06-4,26; p = 0,001). Não observamos nenhum efeito sobre a ocorrência de eventos adversos, sobre a mortalidade hospitalar ou sobre a mortalidade na unidade de terapia intensiva.

Conclusões: Entre pacientes sob risco de pneumonia associada à ventilação mecânica, o uso de tubos endotraqueais com drenagem de secreções subglóticas é efetivo na prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica e pode estar relacionado a uma menor duração da ventilação mecânica e a uma menor permanência na unidade de terapia intensiva.

Palavras-chave: secreções subglóticas, prevenção, pneumonia, pneumonia associada à ventilação mecânica, metanálise.

Resumo Original:

Background and Purpose: Aspiration of secretions containing bacterial pathogens into the lower respiratory tract is the main cause of ventilator-associated pneumonia. Endotracheal tubes with subglottic secretion drainage can potentially reduce this and, therefore, the incidence of ventilator-associated pneumonia. New evidence on subglottic secretion drainage as a preventive measure for ventilator-associated pneumonia has been recently published and to consider the evidence in totality, we conducted an updated systematic review and meta-analysis.

Design: We searched computerized databases, reference lists, and personal files. We included randomized clinical trials of mechanically ventilated patients comparing standard endotracheal tubes to those with subglottic secretion drainage and reporting on the occurrence of ventilator-associated pneumonia. Studies were meta-analyzed for the primary outcome of ventilator-associated pneumonia and secondary clinical outcomes.

Measurements and Main Results: We identified 13 randomized clinical trials that met the inclusion criteria with a total of 2442 randomized patients. Of the 13 studies, 12 reported a reduction in ventilator-associated pneumonia rates in the subglottic secretion drainage arm; in meta-analysis, the overall risk ratio for ventilator-associated pneumonia was 0.55 (95% confidence interval, 0.46-0.66; p < .00001) with no heterogeneity (I2 = 0%). The use of subglottic secretion drainage was associated with reduced intensive care unit length of stay (-1.52 days; 95% confidence interval, -2.94 to -0.11; p = .03); decreased duration of mechanically ventilated (-1.08 days; 95% confidence interval, -2.04 to -0.12; p = .03), and increased time to first episode of ventilator-associated pneumonia (2.66 days; 95% confidence interval, 1.06-4.26; p = .001). There was no effect on adverse events or on hospital or intensive care unit mortality.

Conclusions: In those at risk for ventilator-associated pneumonia, the use of endotracheal tubes with subglottic secretion drainage is effective for the prevention of ventilator-associated pneumonia and may be associated with reduced duration of mechanical ventilation and intensive care unit length of stay.

Key words: subglottic secretion;prevention; pneumonia; ventilator-associated; meta-analysis

Fonte:
Crit Care Med ; 39(8): 1985-1991; 2011. DOI: 10.1097/CCM.0b013e318218a4d9.
DECS:
Revisão, Metanálise como Assunto , Pneumonia Associada à Ventilação Mecánica, prevenção e controle, intubação intratraquial, sucção