Diretrizes de 2018 da American Society of Hematology sobre a conduta para o tromboembolismo venoso: profilaxia para pacientes clínicos hospitalizados e não hospitalizados.

Schünemann HJ ; Cushman M ; Burnett AE ; Kahn SR ; Beyer-Westendorf J ; Spencer FA ; Rezende SM
Título original:
American Society of Hematology 2018 guidelines for management of venous thromboembolism: prophylaxis for hospitalized and nonhospitalized medical patients.
Resumo:

ONTEXTO:
O tromboembolismo venoso (TEV) é a terceira doença vascular mais comum. Pacientes clínicos internados, residentes em instituições de longa permanência, pessoas com lesões leves e viajantes de longa distância apresentam um risco mais elevado.
OBJETIVO:
Estas diretrizes baseadas em evidências da American Society of Hematology (ASH) visam apoiar pacientes, profissionais de saúde e outros nas decisões sobre a prevenção do TEV nestes grupos.
MÉTODOS:
Para formular as diretrizes, a ASH formou um painel multidisciplinar balanceado para minimizar possíveis vieses causados por conflitos de interesse. O McMaster University GRADE Center apoiou o processo de desenvolvimento das diretrizes, o que envolveu a atualização ou a realização de revisões sistemáticas das evidências. O painel priorizou questões e resultados clínicos de acordo com a sua importância para profissionais de saúde e pacientes adultos. A abordagem GRADE (Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation) foi usada para avaliar as evidências e fazer recomendações, que foram então submetidas a comentários públicos.
RESULTADOS:
O painel concordou em relação a 19 recomendações para pacientes clínicos internados com doenças agudas ou graves, residentes de instituições de longa permanência, pacientes ambulatoriais com lesões leves e viajantes de longa distância.
CONCLUSÕES:
As recomendações fortes incluíram: profilaxia farmacológica para TEV em pacientes aguda ou gravemente doentes com risco aceitável de sangramento, profilaxia mecânica quando o risco de sangramento é inaceitável, não utilizar anticoagulantes orais diretos durante a internação e contra  não utilizar estender a profilaxia farmacológica após a alta hospitalar. As recomendações condicionais foram: não utilizar rotineiramente a profilaxia para TEV em pacientes em instituições de longa permanência ou em pacientes ambulatoriais com fatores de risco menores para TEV. O painel recomendou de forma condicional o uso de meias de compressão graduadas ou heparina de baixo peso molecular em viajantes de longa distância somente se tiverem alto risco de TEV.

Resumo Original:

BACKGROUND:
Venous thromboembolism (VTE) is the third most common vascular disease. Medical inpatients, long-term care residents, persons with minor injuries, and long-distance travelers are at increased risk.
OBJECTIVE:
These evidence-based guidelines from the American Society of Hematology (ASH) intend to support patients, clinicians, and others in decisions about preventing VTE in these groups.
METHODS:
ASH formed a multidisciplinary guideline panel balanced to minimize potential bias from conflicts of interest. The McMaster University GRADE Centre supported the guideline-development process, including updating or performing systematic evidence reviews. The panel prioritized clinical questions and outcomes according to their importance for clinicians and adult patients. The Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation approach was used to assess evidence and make recommendations, which were subject to public comment.
RESULTS:
The panel agreed on 19 recommendations for acutely ill and critically ill medical inpatients, people in long-term care facilities, outpatients with minor injuries, and long-distance travelers.
CONCLUSIONS:
Strong recommendations included provision of pharmacological VTE prophylaxis in acutely or critically ill inpatients at acceptable bleeding risk, use of mechanical prophylaxis when bleeding risk is unacceptable, against the use of direct oral anticoagulants during hospitalization, and against extending pharmacological prophylaxis after hospital discharge. Conditional recommendations included not to use VTE prophylaxis routinely in long-term care patients or outpatients with minor VTE risk factors. The panel conditionally recommended use of graduated compression stockings or low-molecular-weight heparin in long-distance travelers only if they are at high risk for VTE.

Fonte:
; 2(22): 3198-3225; 2018. DOI: 10.1182/bloodadvances.2018022954.